Memórias da Rádio do século passado

Entrevista ao Director da RCM - Jornal "Raiano".

 

É com prazer que o jornal “RAIANO” se faz eco da efeméride já que a Rádio local faz parte da nossa vida e desejamos acarinhá-la, augurando-lhe longa vida. Dirigimo-nos às novas instalações da Casa da Rádio que são extremamente acolhedoras e revelam bom gosto, onde encontramos os Sr. Dr. Joaquim Manuel da Fonseca sempre atarefado e comandando as operações, que nos recebeu com o habitual sorriso e de seguida respondeu a algumas perguntas que aqui ficam em jeito de entrevista, de depoimento e de sensibilização, nesta hora da nossa querida Rádio de Monsanto.

Victor Vaz (Jornal Raiano)

 

Victor Vaz- Qual o significado da festa do V aniversário de actividade radiofónica em Monsanto?

JOAQUIM FONSECA (Director da RCM)
Este aniversário tem como legenda “Cinco anos a fazer amizades”, aproveitando-se a efeméride para trazer a Monsanto alguns amigos espalhados pelos distritos da Guarda, Castelo Branco e Portalegre, que connosco fizeram amizade. Além do convívio, este aniversário deseja significar um tempo de mudança: novas instalações da Casa da Rádio, novo Centro Emissor e nova torre de 60 metros (a maior da região) e as respectivas antenas, para chegarmos mais longe e melhor, dentro dos limites que nos são impostos por lei.

V.V. - Cinco anos de vida, na pessoa humana, está-se muito longe de atingir a maturidade e ser adulto. Na vida da comunicação social este período é desgastante sobretudo quando a actividade assenta basicamente sobre uma pessoa. Poder-nos-á informar quais as etapas percorridas nestes 5 anos da RCM?

J.F. - Foram tempos de luta diária e árdua. O licenciamento ou legalização da RCM foi um processo delicado e penoso. O esforço valeu a pena pois estamos no ar vinte e quatro horas por dia e temos connosco o maior auditório da região, que sempre nos foi fiel desde 1985. Só assim foi possível vencer os sucessivos desafios: novos emissores, novas antenas, novas instalações, obter o Alvará. Com muito orgulho afirmamos que a RCM é talvez a única estação local que não pagou o seu Alvará, já que os quinhentos contos foram integralmente oferecidos pela comunidade regional. Graças à generosidade dos nossos ouvintes (não temos qualquer apoio oficial, como outras emissoras), foi possível construir a Casa da Rádio, onde se gastaram mais de quatro mil contos. Somos a única estação da região com instalações próprias, propriedade da Cooperativa. Estamos equipados com material do mais moderno e sofisticado, sob a competente orientação do nosso técnico e sócio senhor Reinaldo Pedro Ramos Serra. Não temos qualquer dívida exterior e ao longo destes cinco anos conseguimos um património de mais de quinze mil contos, à custa de muito sacrifício, dedicação e renúncia, pois não nos anima o lucro. Juridicamente somos uma Cooperativa de natureza cultural, sem fins lucrativos, como consta dos Estatutos.

V.V. - O licenciamento alcançado gera estabilidade e confiança, o suporte económico tem-lhe permitido dotá-la de equipamento de primeira qualidade e de instalações condignas, a simpatia que por ela têm os numerosos rádio-ouvintes constituem estímulo a quem concebeu um projecto, partindo do nada. Quais são agora os objectivos para o futuro?

J.F. - O nosso caminho foi percorrido com seriedade e sem hipotecar o futuro. Depois do enorme esforço feito com a aquisição de equipamentos e da construção da sede, como nos impunha a lei, vamos agora investir na contratação e formação de pessoal. Neste delicado vector as dificuldades preocupam-nos muito. Monsanto, com muita mágoa o afirmamos, está condenado a uma desertificação humana. Os jovens monsantinos (poucos) não recebem estímulos para a sua fixação na aldeia e depois de concluídos os estudos partem para Lisboa ou para o estrangeiro. Por isso a nova Casa da Rádio integra também um apartamento para apoio aos colaboradores que sejamos obrigados a procurar na zona. Só com mais pessoal, devidamente preparado e qualificado, podemos melhorar a qualidade da nossa grelha de programas, sobretudo a nível informativo, divulgativo e cultural. Temos a consciência plena de que neste campo a RCM tem um longo caminho a percorrer. Os acontecimentos comunitários da região precisam de uma cobertura muito mais vasta. Porém, para isso são precisos mais recursos financeiros, humanos e uma viatura, que a RCM ainda não tem. Julgo que nestes cinco anos já muito se fez e não vamos desanimar, apesar de muitos contratempos e alguns dissabores. Acreditamos e confiamos nos verdadeiros amigos da RCM e no melhor apoio das entidades concelhias de Idanha-a-Nova.

V.V. - Ninguém duvida que a Rádio é um valor que enriqueceu a nossa terra, tornando-a mais conhecida, divulgando a sua cultura, ajudando muita gente, em todas as horas, de alegria e de prostração, afirmando-se, sobretudo através da música, uma companhia muito familiar. Como espera torná-la ainda mais acarinhada? Que espera, em contrapartida, do povo de Monsanto?

J.F. - Quando a RCM puder cumprir os objectivos que atrás referi, julgo que aumentaremos o número daqueles que diariamente nos acompanham. Além do cunho popular (e mesmo popularucho) da RCM, que nos tem caracterizado como o som popular, vamos apostar na qualidade, para conquistar um auditório um pouco mais urbano. Que espero do povo de Monsanto? A resposta é difícil. Ao longo destes anos a RCM transformou-se numa emissora de impacto regional, mas, se dependesse de algumas pessoas de Monsanto julgo que já estaria silenciada... Mais uma vez “os santos da porta não fazem milagres”. Como principal responsável da RCM não espero milagres, mas também não admito ser injustiçado.
Espero que os “Velhos do Restelo” se convençam, duma vez por todas, que a RCM só prestigia e dignifica o nome da “Aldeia Mais Portuguesa”. Penso que é dever de todos os monsantinos apoiarem a sua Rádio, pois é a coisa mais maravilhosa que aconteceu em Monsanto, nestes últimos anos.E termino agradecendo o estímulo que nos tem sido dado por alguns bons monsantinos e por milhares e milhares de ouvintes da Beira Alta, Beira Baixa e Alto Alentejo. Com confiança vamos continuar a caminhada em prol do regionalismo e da nossa terra.

 

Jornal Raiano, Fevereiro de 1990

CONCRETIZAÇÃO DO IC31...FINALMENTE ?

Facebook

Escrito por CMIN/RCM em 2020-08-27 18:10:27

CONCRETIZAÇÃO DO IC31...FINALMENTE ?

CONCRETIZAÇÃO DO IC31…FINALMENTE?       A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, em comunicado que nos foi enviado, congratula-se por a via IC31 – Castelo Branco/Termas de Monfortinho, que ligará a A23 a Espanha, constar entre as obras previstas no Plano Nacional de Investimentos 2030.   Na próxima cimeira luso-espanhola, que deverá realizar-se na Guarda, entre o final de Setembro e início de Outubro, espera-se que o IC31 seja apresentado como um dos projectos que vão melhorar as ligações transfronteiriças, que têm previsto um investimento de cerca de 80 milhões de euros e um prazo de construção entre 2024 e 2030.   O Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, adianta que “o projecto do IC31 é estruturante para a região Centro de Portugal e para o país no seu todo. É um investimento que irá gerar desenvolvimento económico e social, aproximar Portugal da Europa, aumentar a competitividade territorial e reforçar a coesão interna do nosso país”. “Trata-se de uma infra-estrutura rodoviária da maior importância e a sua concretização irá afirmar as Termas de Monfortinho como a grande porta de entrada do Centro de Portugal, para turistas e mercadorias”, afirma o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova.   Saúda-se, assim, o facto do IC31 estar entre os investimentos estratégicos que Portugal decidiu lançar esta década, num compromisso que não deve ficar condicionado às alterações de ciclo político.   A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova compromete-se a acompanhar a evolução da implementação do plano rodoviário nacional.   Em articulação com o Programa de Coesão Territorial, este plano define o IC31 nos investimentos públicos necessários para fomentar a economia e aumentar a coesão territorial e a dinamização da mobilidade nas regiões do interior.   …………………………………………………......   A Rádio Clube de Monsanto tem no seu site www.radiomonsanto.pt um inquérito sobre esta matéria da concretização do IC31 e num universo de já 31. 876 votantes, o resultado é o seguinte:   SIM…………..2,6% NÃO………..94,4% Talvez……….....3%   …………………………………………………......   Portanto vamos confiar e esperar para ver…

Ler mais

BEM-HAJA AOS AMIGOS DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO

Facebook

Escrito por RCM em 2020-08-15 18:03:08

BEM-HAJA AOS AMIGOS DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO

BEM-HAJA AOS AMIGOS DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO ……………………………………………............................. Um sincero bem-haja a quantos se associaram, pessoalmente, por telefone ou por outros meios, ao dia de mais um aniversário da Rádio Clube de Monsanto, e nos felicitaram pela passagem dos 35 anos desta modesta Voz da Portugalidade ao serviço da Aldeia Histórica de Monsanto, do concelho de Idanha-a-Nova, da região e do país. Julgo que concordarão que tentámos, com esforço e dedicação, cumprir a nossa Missão, o melhor que sabíamos, podíamos, e… nos deixaram levar a “Carta a Garcia”. Essas cativantes gentilezas e generosidades, da parte de inúmeros amigos-ouvintes, dalgumas entidades oficiais e de associações culturais, etc., muito nos sensibilizam e nos estimulam a CONTINUAR EM FRENTE. Que Deus nos proteja e os nossos ouvintes e anunciantes nos ajudem a chegar até aos 36 anos… o que está a ser muito difícil. Em boa verdade temos que o dizer... com imensa pena, pois prezamos e temos a maior consideração e respeito pelos melhores ouvintes do mundo, os quais sempre estiveram connosco desde 1985. Obrigado, saúde e prosperidade para todo o nosso maravilhoso auditório.

Ler mais

14 DE AGOSTO DE 1985

Facebook

Escrito por RCM em 2020-08-14 09:17:34

14 DE AGOSTO DE 1985

14 DE AGOSTO DE 1985 – 14 DE AGOSTO DE 2020       35 ANOS DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO ao Serviço do Regionalismo, da Música Portuguesa e da marca IDANHA.   BEM HAJA PELA SUA COMPANHIA AMIGA.

Ler mais

RÁDIOS LOCAIS ESTÃO NO LIMIAR DO ENCERRAMENTO

Facebook

Escrito por "JORNAL DA MADEIRA" em 2020-07-17 00:00:00

RÁDIOS LOCAIS ESTÃO NO LIMIAR DO ENCERRAMENTO

RÁDIOS LOCAIS ESTÃO NO LIMIAR DO ENCERRAMENTO “JORNAL DA MADEIRA”  - 17 DE JULHO DE 2020 ............................................................   Segundo informações recolhidas pela ARIC – Associação de Rádios muitas estações de rádio local de norte a sul do continente e regiões autónomas, estarão a ponderar fechar nas próximas semanas. O diminuto volume de receitas e o avolumar de custos durante estes meses de pandemia, isso vai obrigar. Em nota publicada, a ARIC diz que "os empresários não conseguem suportar mais o volume crescente de despesas e as Associações ou Cooperativas proprietárias das licenças de emissão radiofónica, só esperam a realização das respectivas Assembleias Gerais para uma tomada de decisão". Refere também que, "depois dos funcionários e colaboradores terem desistido de apoiar projectos, onde existem vários meses de salários em atraso e muitas contas para pagar, chegou agora altura dos fornecedores de energia eléctrica considerarem a hipótese de cortar o fornecimento, pois a paciência e a solidariedade também têm os seus limites. E sem energia, os emissores calar-se-ão de vez". Sobre as comunicações, a ARIC diz saber de redacções sem telefone há vários meses, e que para obtenção de notícias ou confirmação de informações, são os próprios jornalistas que recorrem a meios próprios e telemóveis particulares. Em contacto com a Secretaria de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, esta Associação não conseguiu obter uma resposta sobre o timing efectivo de concretização do apoio do Estado aos media, através da compra de publicidade institucional antecipada. Cinco meses depois de apresentadas as primeiras medidas de apoio às empresas devido à Covid-19, o dia a dia das empresas de comunicação social em geral e para as rádios em particular, já passou pelos estágios de emergência, aflição, pânico e está prestes a passar para o estágio de fecho iminente. Entretanto, a ARIC já elaborou um conjunto de medidas muito concretas que apresentou ao Governo, que se aceites suavizariam as dificuldades vividas. "Porém, até agora nada aconteceu e, assim, as rádios não conseguem continuar", avisa.   .............................................................. A LENTA ASFIXIA DAS RÁDIOS LOCAIS.   TEMOS QUE DENUNCIAR:     CADA DIA ESTÁ MAIS DIFÍCIL DE CONTINUAR A MANTER NO AR A RÁDIO CLUBE DE MONSANTO. TEMOS DE VENDER OU MESMO FECHAR, COM NATURAL DESENCANTO E DESAGRADO. AS DIMINUTAS RECEITAS NÃO DÃO PARA AGUENTAR POR MUITO MAIS TEMPO. A SITUAÇÃO FOI DRASTICAMENTE AGRAVADA COM A PANDEMIA. E AS PROMETIDAS AJUDAS (MESMO AS MIGALHAS) TARDAM EM CHEGAR.  

Ler mais

Transportes dentro do concelho e ligação a Castelo Branco recomeçam a 6 de Julho

Facebook

Escrito por CMIN em 2020-07-03 17:38:23

Transportes dentro do concelho e ligação a Castelo Branco recomeçam a 6 de Julho

Transportes dentro do concelho e ligação a Castelo Branco recomeçam a 6 de Julho   O transporte de autocarro dentro do concelho de Idanha-a-Nova e a ligação rodoviária entre Idanha-a-Nova e Castelo Branco vão recomeçar no dia 6 de Julho, após interrupção forçada devido à pandemia de COVID-19. A disponibilização das carreiras será faseada de acordo com a evolução da situação epidemiológica, sabendo-se que os transportes públicos são fundamentais para a qualidade de vida das pessoas, mas potenciam a transmissão da COVID-19 e a salvaguarda da saúde da população é a grande prioridade desta autarquia. A Carreira Intermunicipal, entre Idanha-a-Nova e Castelo Branco, tem saída do terminal rodoviário de Idanha-a-Nova pelas 8h10 e saída do terminal de Castelo Branco pelas 17h15, de segunda a sexta-feira (dias úteis). Este transporte é gerido pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, enquanto Autoridade de Transporte competente quanto aos serviços públicos de transporte de passageiros intermunicipais na área geográfica que abrange. A rede de transportes rodoviários do Cartão Raiano também vai retomar no dia 6 de Julho. Liga todas as localidades do concelho à vila de Idanha-a-Nova, com horários e itinerários que permitem dar resposta às necessidades de mobilidade da população e minimizar a concentração de passageiros. Os percursos e horários vão estar disponíveis na Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, nas Juntas de Freguesias, nos Postos de Turismo e nos sites oficiais do Município, nomeadamente em www.cm-idanhanova.pt e www.idanha.pt. Importa referir que a legislação em vigor limita o número de pessoas nos autocarros e determina a adoção de normas preventivas de segurança e higiene, nomeadamente a obrigatoriedade do uso de máscara e o distanciamento social entre os passageiros. Estão ainda previstos transportes excepcionais de acordo com necessidades pontuais da população (consultas médicas, por exemplo), sujeitos a marcação prévia junto da Linha de Apoio Psicossocial (966 032 484), com a antecedência mínima de oito dias e condicionados à disponibilidade dos serviços do Município.

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2020 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line