Livro de Visitas

Assine o Livro de Visitas

Contacte através de:
SEDE
Rua dos Cebolinhos, 6
6060 - 091 MONSANTO IDN
PORTUGAL

Tel.: (+351) 277 314 415 / 418
Fax: (+351) 277 314 254
Tlm: (+351) 96 921 63 05


DELEGAÇÃO EM CASTELO BRANCO
Urbanização Quinta Nova
Rua Mons. Alfredo Serra Magalhães
Lote 6 - 3º Frente
6000-494 Castelo Branco
PORTUGAL

Tlm: (+351) 96 921 63 05

Email: geral@radiomonsanto.pt

Veja quem assinou

MARGARIDA PARDAL - LISBOA

Caro Amigo,

Uma excelente reportagem foto - jornalística do do repórter solitário Rui Pedro Fonseca sobre o longínquo Timor-Leste.

A Alma Lusa que se faz Maior, e que Abraça o Mundo Todo.

Muitos parabéns,

Margarida Pardal

2012-04-01

VIVA RÁDIO MONSANTO:

Sr. RUI PEDRO FONSECA, é um dos melhores jornalistas em Portugal. Grande contribuinte na DIVULGAÇÃO da Rádio Clube em todo o mundo.
De MONSANTO. Viajero incansáveis. Para a Ásia, Índia, Tailândia, Malásia, Laos, Espanha.
Um repórter solitário, do conhecimento maravilhoso do mundo da comunicação. Parabéns e felicidades a Rádio Clube MONSANTO,
o som popular ao serviço regionalismo Português com música, notícias é a minha Companhia para o meu dia a dia.
En www.viriato-viera.com meu site é dos anos enlace. Desde atrás, eu considerei CLUBE MONSANTO RADIO, um dos melhores embaixadores de PORTUGAL nos cinco continentes.
Don Joaquim Manuel da Fonseca, Director-Geral de MONSANTO Rádio Clube é um dos grandes homens portugueses do nosso tempo. Seu alcance para os valores culturais de Portugal, e acima de tudo, as canções e música em PORTUGUÊS é UNIQUE.
MEU DESEJO DE VOLTAR A ABRAÇAR DON MANUEL DA FONSECA JOAQUIN está vivo há muitos anos, reunidos em FAR com o serviço que FAZ PARA O MUNDO.

UN Abraço,
JOSÉ VIERA GUTIERRÉZ
Cáceres - España



Estimado Amigo ,

Li e gostei do texto elaborado pelo seu Rui Pedro em terras de Timor-Leste. Ele escreve, com sentimento, aquilo que lhe vai na alma e retrata bem aquela gente simples e humilde, onde ainda permanecem os laços de afecto ao povo português.
Curiosa é também a sua descrição sobre o território e céus de Timor... a "via láctea"!
Parabéns!
Um dia pode escrever um livro sobre as suas viagens pela Ásia, dando a conhecer a cultura do Oriente.

Um abraço de amizade
Elias Vaz


Caríssimo Amigo:

Partilho da sua alegria, ao receber de Timor esta excelente reportagem do Rui Pedro Fonseca.
Neste trabalho continua bem visível a observação atenta do repórter e a sua grande capacidade de entendimento da terra e das gentes que observa. Gosto da sua expressividade e do suficiente poder de síntese ao descrever as situações e os
cenários.
Maravilhado com a leitura deste texto tão cheio de beleza interior, mando um abraço de
agradecimento e de felicitações. O Rui merece o melhor futuro.
Manuel Daniel


Texto e fotos que me transportam de imediato aos sons, cheiros e paisagens timorenses. Timor-Leste é lindo, lindo. Obrigada meu amigo pelo seu bonito texto e fotos.
Natália Carrascalão

Vale a pena ler e apreciar as fotos. Um grande abraço para ti Mano.
João Carlos Fonseca


Meu caro amigo:

Acabo de ler o retrato de viagem feito em Timor pelo Rui Pedro Fonseca.
Provavelmente é com emoção redobrada que recorda uma terra onde certamente foi tão feliz quanto o permitiu a juventude.
É para si uma sensação de regresso ao passado com os olhos num futuro sonhado e agora descrito pelo mais comovente relator possível: o olhar do seu filho.

As fotografia são muito bonitas e fico esperançado em que terei um dia a oportunidade de sentir mais de perto esta Peregrinação.

Um abraço
Amadeu Martinho


Caro Amigo e Companheiro:

Acredita que foi com alguma emoção que li este texto sobre Timor.
Eu mesmo estive em Dili também e em Baucau.
Acredita e são várias as vezes que falo às pessoas, de que foi um povo que me deixou saudade, dócil, com uma paisagem invejável, orgulhoso do seu portuguesismo e das suas tradições locais também, que casaram
perfeitamente na herança cultural lusa.
Pena foi que os políticos tivessem estragado tanto do que era a terra e as gentes e " as lágrimas de crocodilo" que muitos andam ainda a carpir serão não de solidariedade para com o povo timorense (não é maubere) para talvez de culpas e culpas que a consciência e a história carregam.

Abraço,
José Domingos


Caro amigo:

Obrigada por partilhar comigo um pedaço do seu Timor e do absolutamente fantástico trabalho do Rui Pedro.

Grande repórter, grande jornalista, que devia estar a trabalhar para um grande jornal, para uma cadeia de televisão ou para uma revista da especialidade.

Tem que insistir com o Rui Pedro para ele mostrar o seu trabalho. É um desperdício não o fazer, ele tem que pelo menos tentar bater a algumas portas. O trabalho do Rui Pedro é tão rico e tão específico que ele vai, com certeza, obter alguma resposta positiva. Tem é que tentar e batalhar por isso.

Um abraço e um beijinho ao Rui
e saudações jornalísticas da colega
Alcina Gomes


Querido Amigo:

Nem imagina a alegria que me deu receber novas de Timor e logo através do seu filho Rui Pedro, um jovem jornalista que é bem um descendente do seu Pai.

Gostei de ler os comentários dele e as dificuldades de movimentação que tem experimentado naquele território, bem como as reacções das pessoas com quem vai falando. Em certos momentos, pareceu-me ler o seu
livro "Comissão em Timor"...
O seu filho tem o dom de descrever muito bem os lugares que visita, como eu já tinha tido ocasião de apreciar.
É muito significativa a fotografia do Cristo Rei, bem como a paisagem maravilhosa recolhida pelo bom fotografo que ele é.

Calculo que, para si, foi agradável e muito reconfortante, por ser dele e por vir daquela terra que é sagrada para todos nós, portugueses.

Com um sincero Bem Haja, vai um abraço de parabéns e de muita amizade.
Manuel Daniel


Meu estimado Amigo e antigo Professor Joaquim Fonseca:

Gostei muito de ler a reportagem da visita a Timor do seu filho Rui Pedro Fonseca.

Um abraço Fraterno do Timorense, que em breve deseja abraçá-lo em Portugal.

José Luís Madeira Valadares
Melbourne - Victória
AUSTRÁLIA

2012-03-28

2012-03-29

MARIA – GLASGOW - FALMOUTH

Eu tenho apreciado o seu trabalho nesta página, vocês estão contribuindo com a escrita e fotos para uma óptima divulgação da vossa terra!
Este site é muito prestável.
Eu sou a Maria, vivo em Glasgow e eu vou ser uma fã desta rádio.
Também vou pedir desculpas pelo meu writting era a única maneira que encontrei para falar com vocês.
Bom dia a todos,
Bye bye
Maria

2012-03-27

JOÃO FRANCISO DUARTE - VILLENEUVE LE ROI


Olá Rádio Monsanto:

Desejo muitos anos de vida á nossa Rádio clube de Monsanto e a todos que nela fazem tão belas emissões, directores e locutores em geral .

Obrigado por nos fazerem reviver momentos de alegria com boa música e recordar velhos tempos. Com o vosso repertório musical tenho muito orgulho de ser Beirão e ser de Castelo Branco, belas origens e de gentes acolhedoras, que saúdo.

Felicidades.

João Francisco Duarte

2012-03-14

SILVÉRIO BRÁS

VILA FRANCA DE XIRA

Olá boa tarde a todo o auditório bem como a todos aqueles que da Rádio Monsanto fazem um meio de não embrutecer e não calar o que nos faz doer cá dentro e nos faz sangrar lentamente.

Adoro escutar a Rádio Clube de Monsanto. Aqui longe faço-o através da Net.

O meu torrão natal, fica situado, algures perdido na vastidão do Alentejo (Salavessa), Niza, situada paredes meias com o Rio Tejo, aonde a desertificação é notória. Os seus filhos abalam em busca de melhor sorte, que nem sempre os mima com tal ventura. Bem cedo os pais meteram malas ás costas e Cebolais de Cima nos recebeu. As industrias de lanifícios eram a menina dos olhos da beira baixa a nível de bem produzir os têxteis, mas como tudo neste pais o destino é um buraco sem fundo aonde pouco a pouco nos vão enterrando, sem fim á vista.
Como o futuro já não passava por ali para estes filhos já cansados rumaram a Lisboa (Vila Franca de Xira) cidade dormitório da grande urbe, sempre na esperança de voltar, mas com o futuro indefinido é cada vez mais difícil voltar.

Na minha aldeia natal o rádio cansado de tantas cantigas reproduzir, que o Albino (PAI) tanto adorava lá continua a debitar por mais velho que esteja vai tocando até que um mal maior possa calar essa voz.

Se vivemos numa democracia como podem alguns tentar extinguir a nossa rádio ???
Saibam que o que eu mais adoro escutar por aqui são realmente os pontos de vista, por vezes acutilantes e bastante incómodos para os senhores do poder, mas verdadeiros.
Não gosto de toda a música que passa, mas afinal a rádio foi feita para todos e não se encontra no panorama nacional rádio igual.
A Rádio Monsanto tem o bom senso de agradar à maioria das pessoas e ao seu povo simples e humilde e que não tem voz.

Aos domingos o programa para as crianças é delicioso. Quem se preocupa nas outras rádios com estas pessoas de palmo e meio ???

BEM-HAJAM por existirem e que os pontos de vista nunca acabem, por maior vontade que a mordaça tenha em querer calar os seus autores só porque chateiam os nossos (des)governantes.

Um abraço,

Silvério Brás

2012-02-17

Páginas: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 |

CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE FERNANDO NAMORA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-04-17 13:01:43

CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE FERNANDO NAMORA

NO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE FERNANDO NAMORA UM TESTEMUNHO DE AFONSO ALMEIDA BRANDÃO     Na sua fase inicial de vida é sabido que ainda chegou a exercer Medicina cerca de um ano. Posteriormente, a sua veia de Escritor falou mais forte e acabaria por escrever vários Livros excepcionais que deixaria a Título Póstumo. Conheci o Fernando Namora nos inícios da Década de 80 Anos, da 2º Metade do Séc. XX.   Ele no Inverno refugiava-se na aldeia do Magoito (localidade a cerca de 10 Km. de Sintra), na Vivenda do dono da Editora das EDIÇÕES 70, para escrever. Chegava a ficar por lá 3 a 4 meses alojado. Vinha à Vila almoçar por volta das 15 horas (sempre no Café Lé) e, à noite, ficava por casa a ver TV, outras vezes a ouvir Música Clássica ou a escrever. Invariavelmente, bebia um Chá acompanhado de uma Torradas. Deitava-se, regra geral, entre as 3 e as 4 horas da madrugada.    Eu e o Eng. Eduardo Silva --- o dono das EDIÇÕES 70, à época --- cedia-lhe a sua Vivenda gratuitamente para ele escrever. Raro era o dia em que nós os três não estávamos juntos. EU vivia no Magoito com a minha ex-Mulher (e que por lá continua) e o Eduardo vinha de Lisboa ao Magoito, todos os dias, e ficava instalado na Residencial Central, do velho Nuro Gulamhussen, um comerciante de nacionalidade indiana, mas naturalizado português há muitos anos.      Estas estadias do Fernando Namora, no Inverno, na Aldeia do Magoito, foram frequentes ao longo de vários anos. A Amizade entre AMBOS (Escritor e Editor) era uma Amizade antiga de tempos de Escola e Meninice). Recordo, com saudade, estes encontros.Já lá vão quase 40 Anos, como o Tempo passa, Meu Deus!   Por vezes EU e o Eduardo íamos visitá-lo à noite. Do Centro da Aldeia e do Café onde estávamos, à casa onde se encontrava o Fernando Namora, eram 600 metros, mais coisa-menos coisa. Aparecíamos de surpresa e ele ficava feliz por nos ver.    Numa certa noite chegou mesmo a desabafar: «Ainda bem que vocês apareceram. Estou sem paciência para escrever, não sai nada de jeito... Vamos comemorar, ouvir música e conversar. A escrita fica para amanhã...». E os três acabávamos, assim, por entrar pela Noite dentro, ao som de música Clássica (na maioria das vezes, com trechos de Chopin), tendo como única companhia uma garrafa de Whisky.Velho -- 12 Anos, um pacote de Bolacha Maria e muita conversa animada e bem disposta.   Ambos já não estão entre nós, infelizmente.Tenho Saudades, imensas Saudades deles e daquele Tempo.  São tempos que não voltam mais... nunca mais... Ficaram "enterrados" no Passado...   Recordo-os, agora e hoje, com os olhos marejados de lágrimas, estes dois bons Amigos Nobres --- e que faziam o favor de me aturar e acolher nos seus convívios e serões inesquecíveis...   Paz à Vossa Alma e até um Dia!   Afonso Almeida Brandão

Ler mais

HOMENAGEM AO MÉDICO E ESCRITOR FERNANDO NAMORA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-04-11 10:16:54

HOMENAGEM AO MÉDICO E ESCRITOR FERNANDO NAMORA

HOMENAGEM AO MÉDICO E ESCRITOR FERNANDO NAMORA NO CENTENÁRIO DO SEU NASCIMENTO (15 DE ABRIL DE 1919 - 2019)       A Sociedade dos Amigos do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior promove na sexta-feira, pelas 18 horas, uma homenagem a Fernando Namora.   A apresentação de “A medicina em Fernando Namora como celebração dos valores humanos” está a cargo de António Lourenço Marques Gonçalves da Sociedade dos Amigos do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior e director dos cadernos de Cultura : Medicina da Beira Interior.   A cerimónia de homenagem do centenário de nascimento de Fernando Namora vai contar também com o testemunho de Joaquim Manuel da Fonseca, amigo de Fernando Namora e director da Rádio Clube de Monsanto.   Vai ainda ser feita uma leitura de textos do escritor por Otília Duarte, Mariana Galeano e Ana Celeste Azevedo.   O Museu de Francisco Tavares Proença Júnior tem no seu acervo, duas telas de Fernando Namora que revelam uma das suas facetas artística mais desconhecida e um raro e original relatório médico da sua passagem pela freguesia de Tinalhas, documento que será editado num dos próximos números da revista da “Materiaes”, órgão da Sociedade dos Amigos do Museu.   O ano de 2019 vai também trazer a reedição das obras de Fernando Namora, como a “A noite e a madrugada”, drama que decorre na fronteira de Penha Garcia.   Fernando Namora nasceu a 15 de Abril de 1919 em Condeixa-a-Nova.   Faleceu em Lisboa em 1989.   Médico de profissão foi autor de uma extensa obra, bastante divulgada e traduzida em várias línguas nas décadas de 70 e 80 do século XX , que tiveram nas paisagens geográficas e humanas da Beira Baixa , principalmente a aldeia de Monsanto os seus cenários literários.  

Ler mais

CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE FERNANDO NAMORA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-04-08 13:44:37

CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE FERNANDO NAMORA

EM CASTELO BRANCO ASSINALA-SE O CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE FERNANDO NAMORA,  QUE FOI GRANDE AMIGO DE MONSANTO, ONDE TEVE CASA E A FAMÍLIA AINDA MORA.

Ler mais

MONSANTO CINCO ESTRELAS

Facebook

Escrito por CMIN em 2019-04-05 11:51:26

MONSANTO CINCO ESTRELAS

A aldeia histórica de Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, voltou a ganhar o Prémio Cinco Estrelas Regiões, que distingue ícones regionais de referência nacional que são reconhecidos pelos portugueses como sendo extraordinários. Monsanto, que já havia sido considerado um destino Cinco Estrelas em 2018, renova o título este ano. O Município de Idanha-a-Nova congratula todos os monsantinos, idanhenses, visitante e turistas que estão na origem desta segunda vitória consecutiva no Prémio Cinco Estrelas. Este galardão é mais um reconhecimento de Monsanto como destino de excelência, na linha de outras distinções como é a eleição frequente para listas de melhores vilas e aldeias do mundo. De acordo com a organização do concurso, o Prémio Cinco Estrelas Regiões “é um sistema de avaliação que identifica o melhor que existe em cada uma das 20 regiões (18 distritos + regiões autónomas) ao nível de recursos naturais, gastronomia, arte e cultura, empresas, património e outros ícones regionais de referência nacional”. Através de uma votação nacional os portugueses identificaram, para cada um dos distritos, o que consideram extraordinário a vários níveis. A cerimónia de entrega dos prémios deste ano terá lugar na cidade de Viseu, no dia 17 de Maio.

Ler mais

FEIRA RAIANA EM IDANHA-A-NOVA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-03-20 13:02:51

FEIRA RAIANA EM IDANHA-A-NOVA

IADNHA-A-NOVA ACOLHE MAIS UMA EDIÇÃO DA FEIRA RAIANA

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2019 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line