Historial das Adufeiras de Monsanto


Adufeiras de Monsanto em actuação no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova (1998)

Maria Amélia Fonseca - Coordenadora das Adufeiras de Monsanto (1995) 
As Adufeiras de Monsanto – “Aldeia Mais Portuguesa de Portugal” – são um grupo de raízes populares, que têm por objectivo preservar e divulgar o riquíssimo património tradicional de Monsanto, através dos seus trajes, cantares e tocares do típico Adufe, instrumento de origem Árabe.

Têm recolhido sucessos em inúmeras actuações de norte a sul do País e no estrangeiro. A sua internacionalização registou-se aquando da participação no XII Festival Internacional de Folclore da Jugoslávia (Zagreb), em 1977, integradas no Rancho Folclórico da Casa do Povo de Monsanto.

Em 1995 colaboraram na edição de um CD, patrocinado pelo Institut International for Traditional Music (IITM-Berlin). Em 1998 participaram no primeiro CD da série “Vozes do Mundo”, produzido pela Cité de La Musique e Edições Actes Sud, de Paris. São membros da Organizacion Internacional del Art Popular (IOV-UNESCO).

Actuaram no Teatro Gil Vicente, em Coimbra e Famalicão da Serra, em 1997; Alte e Almeida, em 1998; Viana do Castelo e Soalheira, em 1999; Avanca, Constância; Torre de Belém, Parque das Nações e Palácio das Mónicas (em Lisboa), Matosinhos e Monsanto, em 2000; Benquerença, Covilhã, V.V.Rodão, Castelo Branco, Lisboa , Almada , Loures e Coriscada, em 2001; V.N. de Famalicão, Peña Parda (Espanha) e Almada em 2002; Castelo Branco, Espectáculo “Mátria”de José Salgueiro, em Coimbra, em 2003; FITUR (Madrid), Portalegre , Mangualde , Idanha-a-Nova e "Gala do 12.º aniversário da SIC" no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, em 2004.

Por indicação  expressa da Madrinha do Grupo, a Etnomusicóloga, Dr.ª Salwa Castelo Branco, da Universidade Nova de Lisboa, integraram o elenco do espectáculo de Ricardo Pais, “Raízes Rurais, Paixões Urbanas”, no Teatro Nacional S. João, do Porto; na Grande Salle da Cité da la Musique, em Paris (França); no Teatro Nacional da Trindade, em Lisboa, em 1997; no Teatro Nacional S. João, do Porto e no Teatro Viriato, em Viseu, em 1999; 

Adufeiras de Monsanto no Festival da Primavera a convite do Centro Cultural de Belém (2000)

Adufeiras de Monsanto no Festival Internacional das Mulheres em Hamburgo (1999) 
Participaram no concerto, no Centro Cultural Raiano (Idanha-a-Nova), com Maria João e Mário Laginha, em 1998; Cine Teatro da Covilhã, em 2000. Concerto com Maria João Pires, no Centro para o Estudo das Artes em Belgais, em 2001.

Actuaram na EXPO 98, em seis espectáculos; Participaram na produção de José Salgueiro, “O Adufe” em: Lisboa (Expo 98, Grande Auditório do Centro Cultural de Belém e Aula Magna), Porto (Palácio Cristal e Coliseu), Castelo Branco, Faro, Viseu, Aveiro, Guimarães, Loures, Évora, Torres Novas, Monsaraz, Sines, Palmela, Setúbal, Leça do Balio e Cacém em 1998, 1999 e 2000; EXPO 2000 em Hannover (Alemanha); Tilburg (Holanda), Santa Maria da Feira, Marinha Grande, Vila Real de Santo António e Montemor-o-Novo, em 2001.

Adufeiras de Monsanto, na EXPO98, com a Banda de José Salgueiro (1998)

Adufeiras de Monsanto numa pintura do Mestre Zé Penicheiro (1995) 
Participaram no VII Festival de Cultura Portuguesa na Alemanha, Hamburgo; no Festival Internacional das Mulheres, em Hamburgo, com Maria João e Mário Laginha, em 1999;

Participaram no espectáculo “Parque Maior”, acompanhadas pela Orquestra dirigida pelo Maestro José Marinho, em 1999;

Participaram no CD “Chorinho Feliz” , de Maria João e Mário Laginha, com Gilberto Gil e Lenine, em 2000; No CD da Orquestra de José Marinho "Nova Harmonia", em 2001;

Ediitaram, em Janeiro de 2001, em estúdio Alemão, um CD com 15 temas do Cancioneiro Monsantino. Participação especial no CD "Sulitânea" , com a  Ronda dos Quatro Caminhos, em 2007.

Em Julho de 2010 editaram o CD duplo "Monsanto, Memória e Tradição", com 37 temas da Etnografia Monsantina. Reedição do CD de 2001, em Setembro de 2010.

Concerto no Arquivo Distrital de Castelo Branco, Festival "Cores e Sabores", em Portalegre,  Encontro de Música e Tradição, em Évora, Festival de Música Tradicional de Odivelas, em 2005; Festival de Música "Raízes do Som" em Serpa, Festas da cidade de Évora, "Música aos Claustros" na Guarda, participação no "Projecto 3 Culturas", a convite da Câmara Municipal de Évora, com espectáculo no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova, concerto "À Beira do Sul", com a Ronda dos Quatro Caminhos, em Évora, em 2006; Encontro de Música Tradicional da Vidigueira, com os Adiafa, "Noites de Verão", em Vendas Novas, concertos na Casa da Música, no Porto, Santiago de Compostela, Espanha e na Aula Magna, em Lisboa, com a Ronda dos Quatro Caminhos, participação especial no CD "Sulitânia", com a Ronda dos Quatro Caminhos, em 2007; Festas da cidade de Lisboa, com Lula Pena, no Castelo de São Jorge, concerto "Verão Cultural" em Tavira, Festival de Cultura Tradicional de Sesimbra, em 2008; concerto na vila do Redondo, com a Ronda dos Quatro Caminhos, Encontro de Tocadores, em Évora, participação especial no CD da artista Claud,  Encontro de Cantadores de Encomendação das Almas, na Faia, Guarda e actuações no Forum Cultural de Idanha-a-Nova, em 2009. Concerto ADUF, de José Salgueiro e José Peixoto, em 14 de Agosto de 2010, para assinalar os 25 anos da Rádio Clube de Monsanto; III Festival BONS SONS, em Cem Soldos - Tomar, em 2010. "Cante ao Menino" , em Évora, Natal de 2010. Concerto no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova, em 2011. Concerto na Casa da Música, no Porto, com a super produção ADUF, no dia 16 de Junho de 2011. Congresso Mundial das Cidades Património Mundial, com o grupo NAVEGANTE, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, nos dias 25 e 26 de Novembro de 2011.

Concerto para os congressistas do II Encontro Internacional de Investigação e Música, em Castelo Branco, Actuação no Palácio das Artes, no Porto, Festival Internacional de Música Antiga, na Capela de S. Pedro, em Monsanto, no dia 8 de Dezembro de 2012, com o grupo SETE LÁGRIMAS.

Concerto nos Claustros do Mosteiro da Batalha, interagindo com o grupo SETE LÁGRIMAS, no dia 2 de Junho de 2013.

Concerto no dia 5 de Outubro de 2013, nos Jardins do Palácio de Belém, em Lisboa, integrado nas Comemorações da Implantação da República.

 

Participação no ENCONTRO DE ENCOMENDAÇÃO DAS ALMAS em Mangualde, no dia 5 de Abril de 2014.

 

Concerto no Meo Arena, no dia 30 de Maio de 2015 (Apresentação dos novos produtos da Compal).

Evento de Tiago Pereira – A Música Portuguesa a gostar dela própria – na Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, no dia 20 de Junho.

ENTRE MARGENS - ENCONTRO DE TOCADORES DE PORTUGAL E ESPANHA EM CAMINHA – Dias 3, 4 e 5 de Julho de 2015, com oficinas de Adufe.

PARTICIPAÇÃO NA CIDADE DAS TRADIÇÕES - 18, 19 e 20 de Setembro 2015 - Parque de Jogos 1.º de Maio, em Alvalade – Lisboa, a convite da Fundação INATEL.

PARTICIPAÇÃO NO XVI FESTIVAL DE MÚSICAS ANTIGAS DA EUROPA, NOS DIAS 2 E 3 DE OUTUBRO DE 2016, EM LUBLIN – POLÓNIA, a convite do Centre for Intercultural Creative Initiatives “CROSSROADS”.

Grande Festa do Cante Alentejano “POLIFONIAS DO MUNDO”, no dia 27 de Novembro de 2015, na Igreja do Convento de São Paulo, em Serpa.

Participação no II ENCONTRO DE TRADIÇÕES QUARESMAIS DE MONSANTO, dia 20 de Fevereiro, de 2016, na Igreja de São Salvador.

Participação no X ENCONTRO DE CANTARES QUARESMAIS DE IDANHA-A-NOVA - 19 e 20 de Março de 2016 – Fórum Cultural de Idanha-a-Nova.

Participação no espectáculo “A CANÇÃO RAIANA PERDIDA”, no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova, no dia 19 de Novembro de 2016.

Participação no III Encontro de Tradições Quaresmais, na Igreja de São Salvador, em Monsanto, no dia 1 de Abril de 2017.

 

Participação no XI Encontro de Cantares Quaresmais, no Fórum Cultural, em Idanha-a-Nova, no dia 7 de Abril de 2017.

 

PARTICIPAÇÃO NO CONCERTO CANTE-ADUFE E FADO

“UNESCO E DIVERSIDADE CULTURAL”, NAS CAPELAS IMPERFEITAS DO MOSTEIRO DA BATALHA NO DIA 27 DE MAIO DE 2017.

 

No dia 24 de Junho de 2017, por convite especial do Músico, Produtor e Realizador, Tiago Pereira, a Coordenadora das Adufeiras de Monsanto, Maria Amélia Fonseca esteve presente no Dia Grande da Herdade do Esporão, em Reguengos de Monsaraz, e realizou um animado workshop sobre a temática do milenar ADUFE.

 

Participaram, no dia 13 de Agosto de 2017, no CONCURSO DAS 7 MARAVILHAS e Monsanto passou à final na categoria Aldeias Monumento, durante a Gala da RTP transmitida em directo a partir de Monsanto.

Participação no IX Encontro dos antigos alunos e professores do Colégio de Medelim, no dia 7 de Outubro de 2017, em Monsanto.

-Gravação para o produtor Tiago Pereira, no dia 30 de Outubro de 2017;

- Gravação para a televisão BBC, no dia 4 de Dezembro de 2017;

- Participação na gravação do CD da fadista Cristina Maria, no Estúdio Pé de Vento, em Salvaterra de Magos, no dia 22 de Janeiro de 2018;

- Participação nas Tradições Quaresmais, no dia 10 de Março de 2018, na Igreja Matriz de Monsanto;

- Participação no Concerto de apresentação do CD “LIVREMENTE” da fadista Cristina Maria, no Teatro José Lúcio, em Leiria, no dia 23 de Março de 2018;

- Participação nas Comemorações do DIA DE PORTUGAL (10 de Junho de 2018), em NEWARK (Nova Jérsia); NEW JERSEY, e na sede das NAÇÕES UNIDAS EM NOVA IORQUE.

 

- Curso de Percussão Tradicional, em Monsanto, nos dias 9, 10 e 11 de Novembro de 2018, com a especial dinamização das Adufeiras de Monsanto, no evento patrocinado pelas Aldeias Históricas de Portugal.

 

Dia 1 de Junho de 2019, em Ferreira do Alentejo, Concerto pelas Adufeiras de Monsanto, numa interligação especial com a artista Celina da Piedade, Tim (dos Xutos & Pontapés), Rosas de Março, Alma Nova e Ana Santos, no FESTIVAL GIACOMETTI.

 

DIA 7 DE AGOSTO DE 2019, AS ADUFEIRAS DE MONSANTO GRAVARAM UMA LONGA METRAGEM INTERNACIONAL, PARA UM CANAL DE TELEVISÃO DO CANADÁ, PRODUZIDA PELA EQUIPA “GIMME THE BEAT DOCUMENTARY”:

Divulgação da Aldeia Mais Portuguesa, do Adufe e do seu Cancioneiro Tradicional.

 

Colaboraram em vários programas de Rádio e da RTP1, RTP2, RTP Internacional, SIC , TVI  , TV GALIZA - Espanha, TV Alemã, Turquia, Coreia do Sul, Japão, etc.

As Adufeiras de Monsanto têm merecido as melhores críticas da Imprensa e de Etnógrafos, pela afirmação genuína dos seus trajes, cantares e tocares do milenar Adufe, instrumento musical de origem Árabe.

Rancho Folclórico da Casa do Povo de Monsanto em Zagreb-Jugoslávia, sob a direcção do Professor Joaquim Fonseca e do ensaiador José Augusto Rocha (1977)

Festival Internacional da Jugoslávia, em Zagreb (1977) 
CONTACTOS: Rua dos Cebolinhos, 4 - 6060 - 091 MONSANTO IDN Tel: (+351) 277 314 415 / 418 - Fax: (+351) 277 314 254 
Tlm: (+351) 96 921 63 05

PARA SABER MAIS veja "RECORTES DE JORNAIS" neste site.

ALDEAMENTO SUSTENTÁVEL “MONSANTO VERDE”

Facebook

Escrito por CMIN em 2020-01-29 19:03:18

ALDEAMENTO SUSTENTÁVEL “MONSANTO VERDE”

    Turismo de Portugal dá ‘luz verde’ ao aldeamento sustentável Monsanto Verde Grupo francês investe dez milhões em aldeamento sustentável em Monsanto- Idanha-a-Nova.   Um grupo francês vai construir um aldeamento sustentável com 44 moradias ecológicas em Monsanto-Idanha-a-Nova, chamado "Monsanto Verde".     Perto da aldeia histórica de Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, a sociedade de gestão "Monsanto Verde, Lda." acaba de ver aprovada a sua candidatura ao Turismo de Portugal para instalação de um aldeamento de 4 estrelas, composto por 44 moradias ecológicas e um edifício de apoio existente definido como ‘Casa da Herdade’. O complexo de 160 camas, situado numa herdade agrícola de 238 hectares, propriedade de Henri Salas, propõe um modo de vida sustentável, combinando o activo de residentes e turistas com uma envolvente total de agricultura biológica participativa. Rui Gomes-Pedro, gestor do projecto, doutorado em Estratégias Empresariais de Desenvolvimento Sustentável e docente na Universidade Sorbonne, em Paris, adianta que Monsanto Verde representa “um investimento de mais de 10 milhões de euros que contempla residências, hotelaria, restauração e explorações agrícolas diversas, todas elas biologicamente certificadas desde a sua produção à transformação para produto de consumo final. Oferecemos uma vida em plena natureza, seja para quem ali queira residir em permanência ou fazer turismo num território que é reserva natural e protegido pela UNESCO”. O número de moradias previstas responde à capacidade adequada para o território. As moradias de construção bioclimática garantem total conforto e são construídas com as mais recentes tecnologias, técnicas e metodologias ecológicas, usam materiais locais e respeitam os códigos de herança rural da região. De forma a habitar em comunhão com a natureza, houve um cuidado especial em cada localização que, de forma equilibrada, abraça a vegetação espontânea garantindo elevada privacidade e facultando também a cada posição um excelente horizonte de natureza. A privacidade e a comunhão com a natureza foram, provavelmente, os temas mais difíceis de todo o projecto face às inúmeras condições impostas para boa execução do complexo. Os acessos às moradias fazem-se pelos caminhos de outrora, parte deles já recuperados e reabilitados com a matéria local. Especialista de renome na aplicação do desenvolvimento sustentável nas empresas, Rui Gomes-Pedro explica que a escolha de Monsanto para instalação deste projecto teve em consideração factores estratégicos como a boa imagem de Portugal no mercado francófono, a centralidade ibérica da região – a meio caminho entre Lisboa e Madrid –, boas acessibilidades e políticas locais alinhadas com a promoção dos valores ambientais. Para o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, “o empreendimento Monsanto Verde foi, desde logo, acarinhado por ir de encontro à estratégia de sustentabilidade que temos para o território. A mesma assenta na criação de riqueza e emprego, através da aposta na economia verde, na economia circular e nos circuitos curtos de comercialização, valorizando os nossos recursos naturais e o nosso património”. O projecto Monsanto Verde pretende deixar uma marca positiva na comunidade. Para além do impacto na economia local, os promotores pretendem colaborar na formação de estudantes, nos sectores da hotelaria e da restauração, em parceria com escolas de ensino profissional e superior. Reinventar a “arte de viver do futuro” é, em suma, a frase chave da Monsanto Verde. Capaz de combinar conhecimento ancestral e tecnologias recentes, mais do que vender casas ecológicas, este projecto que tem a assinatura do arquitecto Mário Benjamim, oferece um conceito de vida em harmonia com a natureza, num território inserido na rede europeia de Bio-Regiões (Eco-Regions) e com três classificações da UNESCO.  

Ler mais

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Facebook

Escrito por RCM em 2020-01-24 14:24:47

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS.   Quem nos acode?   Por mais que tentem os operadores de Rádio, só por si, muito dificilmente ultrapassarão as dificuldades sem apoio público. É aqui que entra a opção política de quem manda no Estado.   O País necessita ou não de uma Comunicação Social livre, dispersa (propriedade) e independente? Se a resposta for sim, então vai ser necessário criar e desenvolver um sistema eficaz de apoios ou incentivos – conforme se lhes quiser chamar – indirectos que ajudem a desenvolver uma infra-estrutura digital nacional para a Comunicação Social, a suportar os respectivos custos de distribuição e de desenvolvimento de software.   Não nos castiguem com taxas e taxinhas e exigências como se fossemos uma empresa cotada em bolsa...   SOMOS UMA INSTITUIÇÃO CULTURAL DE INTERESSE PÚBLICO...mas em risco de fechar a curto prazo, se nos obrigarem também a pagar os "direitos conexos". Que nem sabemos o que isso é...   Vivemos de uma única fonte financeira: a publicidade, que em cada dia é mais escassa...pois a crise não passa e as empresas da região estão a encerrar a um ritmo desolador. Não nos vendam ilusões. O tempo não é nada animador. Fora com os vendilhões...   …………………………………………. “É uma pena que o fisco seja tão lesto no que se reporta aos pequenos devedores e deixe escapar os monstros. Querem que acreditemos que são só inertes mas já é incompetência a mais.” Rita Garcia Pereira

Ler mais

UM BOM ANO PARA TODOS

Facebook

Escrito por RCM em 2020-01-01 16:37:13

UM BOM ANO PARA TODOS

  Já estamos no novo ano, o ano do duplo 20, foi um ano referido para muita coisa, mas não passou de meras referências.   Dum modo geral, a nível económico e político, nada se espera de novo, o Governo continuará a sua evolução na continuidade, tentando equilibrar as contas públicas, com reduzido investimento público e com uma pesada carga fiscal.   Não se afigura grande vontade em contrariar a crise existente na generalidade da comunicação social, todavia têm-se verificado várias pressões, especialmente do Senhor Presidente da República que não perde uma única ocasião para se referir ao assunto.   Acresce a este problema a agudização da crise no sector da imprensa e, por arrastamento, grandes dificuldades para um número significativo de jornalistas, o que sensibiliza mais os políticos do que a situação da Rádio e dos seus profissionais, muitos deles também jornalistas. Porém, se qualquer medida for tomada, dificilmente o sector da Rádio será excluído, ainda que beneficie muito menos do que a Imprensa.   Existe a dúvida, mas também a esperança, sempre a esperança… de que talvez um dia percebam mesmo o problema, poderá ser neste novo ano, assim o desejamos.

Ler mais

PETIÇÃO PÚBLICA EM DEFESA DO ENSINO SUPERIOR EM IDANHA-A-NOVA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-12-28 19:12:57

PETIÇÃO PÚBLICA  EM DEFESA DO ENSINO SUPERIOR EM IDANHA-A-NOVA

    Para que a Escola Superior de Gestão se mantenha com a sede, na Vila de Idanha-a-Nova, o Movimento pela sua Autonomia pede aos naturais, residentes e amigos do Concelho de Idanha-a-Nova e aos que defendem o interior do País, que assinem, com a máxima urgência, a petição pública que está on line, no facebook, ou em folhas de papel, distribuídas por todas as freguesias do Concelho. Este território não pode ser mais esvaziado. Este povo raiano não merece ser castigado. Contamos consigo, para garantir um futuro melhor para os nossos filhos e netos. Bem-haja.

Ler mais

LEI DA TRANSPARÊNCIA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-11-23 18:07:32

LEI DA TRANSPARÊNCIA

LEI DA TRANSPARÊNCIA   NFORMAÇÃO INSTITUCIONAL DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO (Publica-se nos termos da Lei da transparência nos meios da comunicação social) Director Executivo: Professor Joaquim Manuel da Fonseca a) - Capital Social: 142.047,72 €; b) - Sócio único e detentor da totalidade do capital social da empresa MONSANTORÁDIO; c) - Administrador e Gestor da RCM: http://www.radiomonsanto.pt/…/pdf/administrador_e_gestor.pdf d) - Responsável pela orientação e pela supervisão do conteúdo das emissões da RCM; e) - Estatuto Editorial da RCM: http://www.radiomonsanto.pt/ficheiros/pdf/estatuto.pdf

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2020 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line