Breve resenha histórica da RCM

Os primeiros emissores da Rádio Clube de Monsanto (1985)

“Era uma vez...” é assim que principiam quase todas as histórias. Porém a história da RCM começa um pouco diferente. Na sua origem estão muita motivação e uma grande vontade e um enorme desejo de concretização de um projecto radiofónico, ao serviço do regionalismo.

E é assim que, em 1985, a aventura nasce, levada a cabo por dois radioamadores: O Dr. Joaquim Manuel da Fonseca, CT1 BRJ, antigo locutor da Rádio Altitude da Guarda e da ex-Emissora Oficial de Timor e o senhor Reinaldo Pedro Ramos Serra, CT1 BJS, técnico de electricidade. A pedido do Dr. Joaquim Fonseca, o senhor Reinaldo Serra constrói, com meios artesanais e rudimentares, um pequeno emissor de Frequência Modulada, que entra no ar em regime experimental, a 8 e 9 de Junho, já sob a designação emblemática de Rádio Clube de Monsanto. Daí até às emissões regulares foi um instante, estas têm início, precisamente, no dia 14 de Agosto de 1985, com o patrocínio da Casa do Povo de Monsanto.

A Rádio Clube de Monsanto constituiu-se, posteriormente, como Cooperativa, através de Escritura Pública, no Cartório Notarial de Penamacor, em 28 de Abril de 1987, com sede na freguesia de Monsanto, concelho de Idanha-a-Nova, e cujos Estatutos foram publicados em Diário da República, III Série, de 17 de Setembro de 1987.

Citando os seus Estatutos:

“ O objecto da RCM é criar e manter, nos termos da lei, uma estação emissora de radiodifusão em Monsanto, com características regionais”.

Como era habitual acontecer com as rádios locais, a RCM por essa altura não possuía alvará, o que a leva a silenciar os seus emissores à meia-noite do dia 24 de Dezembro de 1988, em cumprimento da lei. O regresso dá-se cerca de cinco meses depois e para grande alegria dos seus ouvintes, a RCM, já legalizada, volta a estar no ar, curiosamente, a 8 de Junho de 1989. É a partir desse momento que passa a transmitir em Frequência Modulada, nos 98.7 Mhz, Estéreo/RDS, com a licença 20231 e o indicativo CSB 652 e, desde o ano de 2000, também, nos 107.8 Mhz (nas Termas de Monfortinho).

Em 23 de Maio de 1996 a emissora é distinguida, pelo senhor Primeiro Ministro, com o Diploma de Instituição de Utilidade Pública.

A RCM começou por ser uma iniciativa de natureza cultural e sem fins lucrativos, funcionando como secção autónoma da Casa do Povo de Monsanto, com mais de uma centena de sócios, que lhe garantiram o apoio e motivação que levaram à sua criação, com o objectivo de preencher um espaço vazio nesta zona da Beira Interior , tão depauperada e esquecida e com uma história e cultura preciosas, abundando os vestígios dum passado de valor inestimável, havendo ainda por descobrir um considerável espólio secular.

Qualquer instituição que apareça com o objectivo de divulgar estes valores, de os manter bem vivos, de contribuir para o seu não esquecimento e desaparecimento, é digna que se lhes preste o incentivo necessário à sua existência.

É nesta situação que se encontra, também, a Rádio Clube de Monsanto, Sociedade Unipessoal, Limitada, desde 13 de Agosto de 2001, com Estatutos actualizados por escritura pública feita no Cartório Notarial de Idanha-a-Nova, em 28 de Maio de 2003. A RCM é, na verdade, uma emissora muito apreciada pela gente raiana que , com a maior prontidão e carinho adere, duma forma expontânea, a toda a iniciativa que contribua para manter bem viva a sua Rádio popular, porque é uma voz que fala dos seus problemas e da sua terra.

A RCM transmite, desde 1990, vinte e quatro horas ininterruptas por dia, sendo a sua programação, em termos gerais, caracterizada pela prioridade dada à música portuguesa e aos nossos valores tradicionais.

A RCM tem ainda apoiado os principais acontecimentos culturais, desportivos e sociais do concelho de Idanha-a-Nova e da região e os seus microfones têm também sido colocados à disposição de colectividades, instituições e autarquias para a divulgação dos seus eventos, reivindicações e projectos, sempre com independência, isenção e pluralismo.

A prioridade foi, desde a primeira hora, a salvaguarda e a promoção das potencialidades históricas, turísticas e naturais da Beira Baixa e particularmente do concelho de Idanha-a-Nova e das suas gentes raianas.

Ao longo dos anos, e, sempre com a quotização voluntária e generosa de muitos ouvintes, assistimos a um crescente melhoramento das actividades da RCM, com implantação de instalações próprias, novos estúdios de produção e centros emissores, computorização dos serviços fixos e de reportagem, novas antenas, etc.. Este progresso, como tudo, não seria possível sem bons e maus momentos, sem lutas e conquistas e, por isso, a RCM tem na sua história períodos de vida difícil, de algumas incompreensões, mas tem, também, tempos de muita alegria, caracterizadas por gratificantes amizades, cultivadas através da “caixinha mágica da música” .

Um grande estímulo foi a constatação que a RCM era líder distrital de audiência, comprovado por estudo, de âmbito nacional, de uma empresa da especialidade, a Marktest, encomendado pela Secretaria de Estado da Comunicação Social.

É neste âmbito, que surge o desejo de continuar e principalmente de fazer mais e melhor, apesar das carências humanas e financeiras. A caminhada não conhece, porém, aqui o seu fim. Antes pelo contrário, seguiu um novo rumo : Castelo Branco, ou não fosse a RCM uma instituição habituada a desafios.

O moderno e funcional Centro de Produção da Delegação de Castelo Branco, oficialmente inaugurado em 20 de Janeiro de 2005, conta com mais de uma vintena de colaboradores especializados, que são uma mais valia para os objectivos radiofónicos da emissora da “Aldeia Mais Portuguesa”, já há muito um caso de singular popularidade.

Hoje a RCM é sintonizada por milhares e milhares de amigos espalhados pela Beira Baixa, Beira Alta, Alto Alentejo e Estremadura Espanhola, e, no presente, também, por novos ouvintes dispersos pelos cinco continentes, que nos contactam graças às facilidades tecnológicas da Internet em  www.radiomonsanto.pt.  Esta nova e maravilhosa forma de comunicar e aproximar está a transformar o nosso planeta numa autêntica “aldeia global” !

Desde o ano de 2005 o sítio  www.radiomonsanto.pt   já foi visitado por mais de meio milhão de pessoas de todos os continentes.
Na sua recente e sofisticada versão o sítio mais português de Portugal irá receber, por certo, ainda um maior interesse da parte dos milhares de cibernautas espalhados por todos os cantos do mundo.

Nesta histórica aventura, a um ano de celebrar as "Bodas de Prata", mesmo contra alguns ventos e marés , o futuro é olhado com serenidade e confiança, porque a causa é justa e por ela vale a pena lutar...

A RCM deu uma grande prova: que os interesses e aspirações são sempre possíveis de associar à tradição e à cultura, sem esquecer a História, mas pugnando sempre por novas realizações, que contribuam para o progresso, esse progresso que torna a vida menos difícil e mais bela, nestas terras tão marginalizadas e esquecidas, deste interior profundo, onde, apesar de tudo, há ainda boa gente a querer viver e a resistir, para que jamais se percam a identidade e a História do Povo Português.

Para saber mais sobre a HISTÓRIA DA RCM

Veja "RECORTES DE JORNAIS" - nacionais e regionais  e “GALERIA DE FOTOS ” (1985-2009).

7º FESTIVAL FORA DO LUGAR 2018 POR TERRAS DE IDANHA

Facebook

Escrito por CMIN em 2018-11-14 18:32:30

7º FESTIVAL FORA DO LUGAR  2018 POR TERRAS DE IDANHA

A sexta edição do Fora do Lugar volta a "ocupar" Idanha-a-Nova - UNESCO Cidade Criativa da Música - de 23 de Novembro a 8 de Dezembro de 2018 - com música, histórias, passeios, desenho, viagens, conversa, troca e aprendizagem, bagagem de cá e de lá e descoberta no "lugar mais bonito do mundo"! Resultado da parceria entre a Arte das Musas e o Município de Idanha-a-Nova (e com o apoio do Ministério da Cultura e da Direcção Geral das Artes), este Festival assume-se como uma proposta do mundo rural virado para o país, para a Península Ibérica e para a Europa.  Com a direcção artística de Filipe Faria, o Fora do Lugar – Festival Internacional de Músicas Antigas é hoje um dos projectos culturais mais relevantes na área da música no país. Pondo em diálogo diferentes formas e tempos da música desafia a uma atitude perante as músicas antigas, e aborda, de um forma inovadora, os diálogos decorrentes dos conceitos binómios de erudito/popular e antigo/contemporâneo.   

Ler mais

RECITAIS DA PIANISTA MARIA JOÃO PIRES

Facebook

Escrito por DN/LUSA em 2018-10-27 18:16:40

RECITAIS DA PIANISTA MARIA JOÃO PIRES

A pianista portuguesa fará dois recitais em Dezembro no Centro de Artes de Belgais, um espaço cultural criado pela artista no distrito de Castelo Branco e que foi recentemente renovado e reactivado.   A informação dos recitais, marcados para 14 e 15 de Dezembro, consta da página oficial do Centro de Artes de Belgais, uma propriedade rural em Escalos de Baixo (Castelo Branco) onde anteriormente funcionou o Centro Belgais para o Estudo das Artes, fundado por Maria João Pires. Criado em 1999 como um projecto educativo, pedagógico e cultural, com impacto na região e que chegou a ter o apoio do Ministério da Educação, o Centro Belgais para o Estudo das Artes encerrou em 2009 alegando na altura uma "difícil situação económico-financeira". Quase uma década depois, o projecto cultural de Maria João Pires foi renovado e reactivado como Centro de Artes de Belgais, disponibilizando-se retiros musicais, espaço para actuações e oficinas de música. Há ainda uma valência de alojamento e de produção de azeite, como se lê na página oficial. Contactado pela agência Lusa, o administrador do Centro de Artes de Belgais, Vítor Dias, explicou que em 2009 o projecto "havia encerrado devido à ocupada agenda de Maria João Pires". "Com imensos concertos por todo mundo não tinha tempo para tantas responsabilidades tendo que optar pelo encerramento temporário. Actualmente a situação permite que o Centro volte de novo ao seu pleno", referiu, sem especificar há quanto tempo o centro foi reactivado. Em 2010, pouco depois do encerramento do anterior projecto, Maria João Pires afirmava, em diferentes entrevistas para a imprensa estrangeira, que iria avançar com um projecto social semelhante no Brasil, país onde pediu dupla nacionalidade. Ao longo da última década, a pianista admitiu algum cansaço e intenção de se retirar dos palcos, embora tenha feito algumas actuações, sobretudo fora de Portugal. Além dos dois recitais em Dezembro em Belgais, nos quais irá tocar composições de Mozart e Chopin para uma audiência de 125 pessoas, Maria João Pires mantém, para 2019, o concerto a 22 de Fevereiro no Palau de La Musica, em Barcelona.  

Ler mais

IDANHA-A-NOVA CAPITAL DA SUSTENTABILIDADE E DA CRIATIVIDADE

Facebook

Escrito por RCM em 2018-10-13 15:56:52

IDANHA-A-NOVA  CAPITAL DA SUSTENTABILIDADE E DA CRIATIVIDADE

Programa completo dos eventos agendados Idanha-a-Velha / 2 a 4 de novembro Nas Terras do Rei Wamba…há Sementes! Conferência "De sementes felizes a alimentos saudáveis" Encontro Internacional de Alimentação Saudável, Produção Biológica e Biodinâmica, com a presença de participantes e oradores de vários países do mundo. Moraleja (ESPANHA) / 8 e 9 de novembro Fórum Mundial de Inovação Rural Onde Idanha se apresenta como a 1ª Bio Região em Portugal. Monsanto / 8 a 11 de novembro Lendas do Castelo - Histórias da Aldeia Entre a Noite e a Madrugada I-Danha Food Lab Um encontro mundial de empresas de inovação tecnológica sobre economia verde, com a presença de participantes e oradores de vários países. O tema vai ao encontro dos objetivos do Dia Mundial do Turismo. Idanha-a-Nova / 13 de novembro Sessão Pública - Estratégia Nacional de Agricultura Biológica Geopark Naturtejo / 13 e 14 de novembro Encontro de Empresários Espanhóis Idanha-a-Velha / 15 a 17 de novembro Cimeira "Destinos de Turismo Sustentáveis" Participação de diferentes organismos nacionais e internacionais como a Organização Mundial do Turismo, ONU, Turismo de Portugal, entre outros. 23 de novembro a 8 de dezembro Fora do Lugar - Festival Internacional de Músicas Antigas

Ler mais

HOTEL DO TEMPLO EM IDANHA-A-VELHA

Facebook

Escrito por RCM em 2018-10-11 17:36:41

HOTEL DO TEMPLO EM IDANHA-A-VELHA

A apresentação do projecto Hotel do Templo, decorreu no passado dia 10 de Outubro, na Casa do Concelho de Idanha-a-Nova, com a presença da Secretária de Estado do Turismo, Ana Manuel Mendes Godinho. O Hotel do Templo localiza-se na Civitas Igaeditanorum, a antiga Egitânia, a árabe La Jdanyia e hoje a aldeia histórica de Idanha-a-Velha.  Esta cidade, com 2 mil anos de História, está ligada à História da nossa civilização ocidental. Aqui nasceu o Papa São Dâmaso, o 1º Pontífice, que criou a Bíblia, fez de Roma a sede da Cristandade e obteve o reconhecimento do Cristianismo como religião oficial. Iniciou o uso das Bulas, enquanto expressão legal do poder temporal do Papa, usando como seu selo o Anel Papal e deu início à celebração do Advento, à consagração dos festejos do Dia de Natal, através da Missa do Galo. A Civitas Igaeditanorum que recebeu pregação do Apóstolo São Paulo, foi também berço de reis visigodos, governadores islâmicos, como o Rei Wamba, o wali Ibn Marwan, o imã que liderou a 1ª revolta xiita da História Saqiya ibn Abd al Wahid. Conquistada e reconquistada, por sarracenos e cristãos, como Carlos Magno e Hashim Abd al-Haziz. São os Templários e Gualdim Pais, seu Mestre, que recebe a doação de Idanha-a-Velha, que vai ajudar a estabelecer as fronteiras de Portugal, nos equilíbrios Políticos e Militares com Castela e com o Islão. O futuro Hotel do Templo, Casa dos Templários, entre Muralhas Romanas, Património Nacional, será um espaço diferenciador de toda a oferta existente, um hotel temático, uma experiência inesquecível, que o vai transportar ao Segredo dos Templários de uma forma que nunca imaginou e onde os hóspedes poderão viver o imaginário dos mistérios e lendas das Histórias da nossa História, com que sempre sonhámos. Durante esta sessão, o Município de Idanha-a-Nova irá também associar-se às comemorações dos 900 anos da fundação dos Templários, pela ONG, OSMTH, que vão decorrer em 2019, em Portugal, com iniciativas a partir da Civitas Igaeditanorum, a Egitânia, La Jdanyia, a Velha Idanha. O projecto do Hotel do Templo irá contemplar 45 quartos numa área total de 5740m2, vai ser lançado em concurso público, no âmbito do projecto REVIVE, Reabilitação, Património e Turismo, promovido pelo Governo Português.  

Ler mais

VAMOS AJUDAR OS NOSSOS BOMBEIROS DE IDANHA

Facebook

Escrito por RCM em 2018-10-09 14:46:05

VAMOS AJUDAR OS NOSSOS BOMBEIROS DE IDANHA

VAMOS AJUDAR OS NOSSOS BOMBEIROS DE IDANHA  

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2018 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line