The village more Portuguese of Portugal

MONSANTO – A GRANITE BASTION

Entrega do Galo de Prata ao Povo de Monsanto (1939)

When the delivery of the “Silver Rooster”  on  the 4th of  February 1938 in Lisbon, representatives of Monsanto´s people were welcomed by the Republic President; Marechal Óscar Fragoso Carmona, Board of Ministers President; Professor Dr. António Oliveira Salazar and some other illustrious individualities.

In 1938, António Ferro and "his" National Propaganda Secretaryship decided to give Monsanto the “Silver Rooster” that distinguished “the Most Portuguese Village” of Portugal. Located in the region of Idanha-a-Nova, Monsanto is an imposed population sculptured in the wild granite from a rock promontory that dominates the surrounding landscape. The excellent geographic location of the place turned that Saint Mountain into a privileged shelter to the most primitive peoples.
The natural fortification condition and the Neolithic axes fragments found in the mountain makes us believe that Monsanto was once a Pre-Roman village.

The proximity of old Egitânia (Idanha-a-Velha), of the road that linked Mérida to Compostela and the innumerable vestiges of Roman occupation (ceramic, coins, jewels and funerary registrations) are clear signals that the Saint Mountain had Romans, in what should have been  a "oppidum".

After the Romans came the Godos and the Arabs who left marks of their passage. Even today a lot of the ethnographic and anthropologic repository from those times still survives in people of this land. The proliferation of moor legends and traditions, like the “adufe” (traditional musical instrument which should only be played by women) survives as evidences of the presence from the Arab people in this region.

Some investigators support the Suevo-Visigothic origin thesis of the fortification, but in rigor only after the creation of the Portuguese Monarchy were defined precise chronological contours. After conclusion of the region’s reconquest to the moors, D. Afonso Henriques recognizes the strategical -military value of the fortification. Only then the King decided to reconstruct the fortification and restock Monsanto by giving it great exemptions for the 1174 charter, same one that was later confirmed by D. Sancho I (1190) and by D. Afonso II (1217).
Before giving the first charter, D. Afonso Henriques, donated the fortification to D. Gualdim Pais, Master of the Union Templar. Monsanto´s strategical importance as a defensive bastion went on growing through the centuries. The fortification was used as an advanced watching point where it was possible to sight in advance, hostile intruders into Portuguese territory. In 1510, D. Manuel raises the village population by honouring it with the permission to be able to use in his shield the celestial sphere.

The fortification unconquerbility is definitely proven in the two last occupation attempts tried by the invading armies. First one in 1658 by D. Luis de Haro (Felipe’s IV minister) and the second one in 1704 by Duke Berwick. The failure of these daring invaders dissuaded similar attempts. From then on the fortification began to loose military importance, benefiting the village’s development, which in the mean time had grown beyond the walls, forming the sub-region of S. Salvador.

In the beginning of the XIX century a violent explosion of powder in the castle’s storeroom, destroys most of the walls and the fortification. Some time after the last military garrison abandons the village, placing a stone rock in a heroic history of courage and brave defence of the Portuguese Border. It was the end a glorious period in the life of Monsanto.

Representantes do Povo de Monsanto foram a Lisboa receber o galardão de "Aldeia Mais Portuguesa" (1939) O Galo de Prata

 

MONSANTO – STONE TEMPLE

For many centuries Monsanto was carefully sculptured on top of the rocky mountain. Monsanto’s traditional houses have half the walls in granite. Monsanto “ex-libris” is the medieval fortification, with many places, doors and staircases. In 1948 the castle was classified as a National Monument.

Monsanto continues to be one of most beautiful Beira lands, celebrated by a notorious Portuguese writer: Fernando Namora, who lived and worked as a doctor in Monsanto for some years. “Scraps from the life of a Doctor” or “Stone Temple” are some of his books that deeply show the writer’s life in Monsanto.

A tourist when visiting Monsanto will certainly be intrigued with the same doubt as Cardoso Marta, when he wrote:

Rancho de raparigas de Monsanto na festa do Castelo (1939)

“In Monsanto we never know
if the house borns from
the rock or if the rocks
borns from the house”

 

MONSANTO MONUMENTS

Vista aérea do Castelo de Monsanto e da Capela de Santa MariaCASTLE
From the top of the mountain we can see the remains of what used to be a medieval fortification, with its strong walls, doors and staircases. When we enter through the “north door” (presently called “The Guards House” and where there’s a curious not yet deciphered registration) we encounter the “citadel” where still remains a templar foundation, with three arcs of five meters high. The castle has also a “false door” , a Homage Tower (medieval) and Saint Mary’s Castle Church (temple created more recently).

Igreja Românica de S.MiguelS. MIGUEL CHURCH

A Romanic temple (in ruins) made of granite rock, situated on top of the village next to the castle.
It has a beautiful axial door with perfect arc, with four archivolts where we can see animal and vegetable features.  At short distance we can also see an original Bell Tower with twin perfect arcs. In the Chapel we can also find many graves excavated in rock..

SOLDIERTOWER
A medieval watching point which was built on top of rocks and close to the castle, some parts of its vigorous walls still well preserved.

S. JOÃO CHAPEL
This Chapel used to belong to S. Miguel’s Church, today is in ruins and only has an arc, the Chapel is situated behind the Castle.

S. SALVADORCHURCH
With an old foundation, the present front-side is dated back to the XVII-VIII centuries, also from these dates are the beautiful golden altars and some other images of artistic interest. Inside the Church and very recently restored we have small but very precious Museum of Sacral Art.

ESPÍRITO SANTO CHAPEL
Dated on the XVI or XVII century is in its set of Renaissance trace. To this Chapel is endorsed on of the doors to the village, with an interesting shed.

SANTO ANTÓNIO CHAPEL
Manuelino Temple, with nice details: the door with its four archivolts; the two "batons" placed on top of a flower (one of each side of the door); the front-side oculus; the chapel-mor’s arch; the belfry.

Torre de Lucano com a réplica, em latão, do Galo de PrataLUCANO´S TOWER 

A granite harmonious and solid bell tower of the XV century. On top a copy of the silver rooster which was trophy from the famous “the most Portuguese village” competition.

S. PEDRO DE VIR-A-CORÇA CHAPEL

Built all in granite rock the chapel is situated in the village’s outskirts and is subject of some legends in the region, possibly dated on the XI century. In front of the Chapel on top of a rock, rises a magnificent belfry of Romanic trace.

ALDEAMENTO SUSTENTÁVEL “MONSANTO VERDE”

Facebook

Written by CMIN in 2020-01-29 19:03:18

ALDEAMENTO SUSTENTÁVEL “MONSANTO VERDE”

    Turismo de Portugal dá ‘luz verde’ ao aldeamento sustentável Monsanto Verde Grupo francês investe dez milhões em aldeamento sustentável em Monsanto- Idanha-a-Nova.   Um grupo francês vai construir um aldeamento sustentável com 44 moradias ecológicas em Monsanto-Idanha-a-Nova, chamado "Monsanto Verde".     Perto da aldeia histórica de Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, a sociedade de gestão "Monsanto Verde, Lda." acaba de ver aprovada a sua candidatura ao Turismo de Portugal para instalação de um aldeamento de 4 estrelas, composto por 44 moradias ecológicas e um edifício de apoio existente definido como ‘Casa da Herdade’. O complexo de 160 camas, situado numa herdade agrícola de 238 hectares, propriedade de Henri Salas, propõe um modo de vida sustentável, combinando o activo de residentes e turistas com uma envolvente total de agricultura biológica participativa. Rui Gomes-Pedro, gestor do projecto, doutorado em Estratégias Empresariais de Desenvolvimento Sustentável e docente na Universidade Sorbonne, em Paris, adianta que Monsanto Verde representa “um investimento de mais de 10 milhões de euros que contempla residências, hotelaria, restauração e explorações agrícolas diversas, todas elas biologicamente certificadas desde a sua produção à transformação para produto de consumo final. Oferecemos uma vida em plena natureza, seja para quem ali queira residir em permanência ou fazer turismo num território que é reserva natural e protegido pela UNESCO”. O número de moradias previstas responde à capacidade adequada para o território. As moradias de construção bioclimática garantem total conforto e são construídas com as mais recentes tecnologias, técnicas e metodologias ecológicas, usam materiais locais e respeitam os códigos de herança rural da região. De forma a habitar em comunhão com a natureza, houve um cuidado especial em cada localização que, de forma equilibrada, abraça a vegetação espontânea garantindo elevada privacidade e facultando também a cada posição um excelente horizonte de natureza. A privacidade e a comunhão com a natureza foram, provavelmente, os temas mais difíceis de todo o projecto face às inúmeras condições impostas para boa execução do complexo. Os acessos às moradias fazem-se pelos caminhos de outrora, parte deles já recuperados e reabilitados com a matéria local. Especialista de renome na aplicação do desenvolvimento sustentável nas empresas, Rui Gomes-Pedro explica que a escolha de Monsanto para instalação deste projecto teve em consideração factores estratégicos como a boa imagem de Portugal no mercado francófono, a centralidade ibérica da região – a meio caminho entre Lisboa e Madrid –, boas acessibilidades e políticas locais alinhadas com a promoção dos valores ambientais. Para o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, “o empreendimento Monsanto Verde foi, desde logo, acarinhado por ir de encontro à estratégia de sustentabilidade que temos para o território. A mesma assenta na criação de riqueza e emprego, através da aposta na economia verde, na economia circular e nos circuitos curtos de comercialização, valorizando os nossos recursos naturais e o nosso património”. O projecto Monsanto Verde pretende deixar uma marca positiva na comunidade. Para além do impacto na economia local, os promotores pretendem colaborar na formação de estudantes, nos sectores da hotelaria e da restauração, em parceria com escolas de ensino profissional e superior. Reinventar a “arte de viver do futuro” é, em suma, a frase chave da Monsanto Verde. Capaz de combinar conhecimento ancestral e tecnologias recentes, mais do que vender casas ecológicas, este projecto que tem a assinatura do arquitecto Mário Benjamim, oferece um conceito de vida em harmonia com a natureza, num território inserido na rede europeia de Bio-Regiões (Eco-Regions) e com três classificações da UNESCO.  

Ler mais

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Facebook

Written by RCM in 2020-01-24 14:24:47

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS.   Quem nos acode?   Por mais que tentem os operadores de Rádio, só por si, muito dificilmente ultrapassarão as dificuldades sem apoio público. É aqui que entra a opção política de quem manda no Estado.   O País necessita ou não de uma Comunicação Social livre, dispersa (propriedade) e independente? Se a resposta for sim, então vai ser necessário criar e desenvolver um sistema eficaz de apoios ou incentivos – conforme se lhes quiser chamar – indirectos que ajudem a desenvolver uma infra-estrutura digital nacional para a Comunicação Social, a suportar os respectivos custos de distribuição e de desenvolvimento de software.   Não nos castiguem com taxas e taxinhas e exigências como se fossemos uma empresa cotada em bolsa...   SOMOS UMA INSTITUIÇÃO CULTURAL DE INTERESSE PÚBLICO...mas em risco de fechar a curto prazo, se nos obrigarem também a pagar os "direitos conexos". Que nem sabemos o que isso é...   Vivemos de uma única fonte financeira: a publicidade, que em cada dia é mais escassa...pois a crise não passa e as empresas da região estão a encerrar a um ritmo desolador. Não nos vendam ilusões. O tempo não é nada animador. Fora com os vendilhões...   …………………………………………. “É uma pena que o fisco seja tão lesto no que se reporta aos pequenos devedores e deixe escapar os monstros. Querem que acreditemos que são só inertes mas já é incompetência a mais.” Rita Garcia Pereira

Ler mais

UM BOM ANO PARA TODOS

Facebook

Written by RCM in 2020-01-01 16:37:13

UM BOM ANO PARA TODOS

  Já estamos no novo ano, o ano do duplo 20, foi um ano referido para muita coisa, mas não passou de meras referências.   Dum modo geral, a nível económico e político, nada se espera de novo, o Governo continuará a sua evolução na continuidade, tentando equilibrar as contas públicas, com reduzido investimento público e com uma pesada carga fiscal.   Não se afigura grande vontade em contrariar a crise existente na generalidade da comunicação social, todavia têm-se verificado várias pressões, especialmente do Senhor Presidente da República que não perde uma única ocasião para se referir ao assunto.   Acresce a este problema a agudização da crise no sector da imprensa e, por arrastamento, grandes dificuldades para um número significativo de jornalistas, o que sensibiliza mais os políticos do que a situação da Rádio e dos seus profissionais, muitos deles também jornalistas. Porém, se qualquer medida for tomada, dificilmente o sector da Rádio será excluído, ainda que beneficie muito menos do que a Imprensa.   Existe a dúvida, mas também a esperança, sempre a esperança… de que talvez um dia percebam mesmo o problema, poderá ser neste novo ano, assim o desejamos.

Ler mais

PETIÇÃO PÚBLICA EM DEFESA DO ENSINO SUPERIOR EM IDANHA-A-NOVA

Facebook

Written by RCM in 2019-12-28 19:12:57

PETIÇÃO PÚBLICA  EM DEFESA DO ENSINO SUPERIOR EM IDANHA-A-NOVA

    Para que a Escola Superior de Gestão se mantenha com a sede, na Vila de Idanha-a-Nova, o Movimento pela sua Autonomia pede aos naturais, residentes e amigos do Concelho de Idanha-a-Nova e aos que defendem o interior do País, que assinem, com a máxima urgência, a petição pública que está on line, no facebook, ou em folhas de papel, distribuídas por todas as freguesias do Concelho. Este território não pode ser mais esvaziado. Este povo raiano não merece ser castigado. Contamos consigo, para garantir um futuro melhor para os nossos filhos e netos. Bem-haja.

Ler mais

LEI DA TRANSPARÊNCIA

Facebook

Written by RCM in 2019-11-23 18:07:32

LEI DA TRANSPARÊNCIA

LEI DA TRANSPARÊNCIA   NFORMAÇÃO INSTITUCIONAL DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO (Publica-se nos termos da Lei da transparência nos meios da comunicação social) Director Executivo: Professor Joaquim Manuel da Fonseca a) - Capital Social: 142.047,72 €; b) - Sócio único e detentor da totalidade do capital social da empresa MONSANTORÁDIO; c) - Administrador e Gestor da RCM: http://www.radiomonsanto.pt/…/pdf/administrador_e_gestor.pdf d) - Responsável pela orientação e pela supervisão do conteúdo das emissões da RCM; e) - Estatuto Editorial da RCM: http://www.radiomonsanto.pt/ficheiros/pdf/estatuto.pdf

Ler mais

More News

Regional News

RECONQUISTA

A Carregar ...

NEWSPAPER JORNAL DO FUNDÃO

A Carregar ...

NEWSPAPER O INTERIOR

A Carregar ...

NEWSPAPER NOVA GUARDA

A Carregar ...

NEWSPAPER A GUARDA

A Carregar ...

© Rádio Clube de Monsanto 2020 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

RCM - Friends | Records Request | Programming | Contacts | Surveys | Guestbook | Online Shop