Marcos da história dos 24 anos da RCM

Primeiros emissores e primeiros estúdios improvisados da RCM (1985). 

8 de Junho de 1985

Emissões experimentais da Rádio Clube de Monsanto nos primeiros estúdios improvisados.

14 de Agosto de 1985

Início das emissões regulares.

15 de Junho de 1986

Convívio dos sócios e amigos ouvintes da RCM na vila de Alpedrinha.

A caminho da inauguração dos novos emissores no cabeço do Castelo de Monsanto.

14 de Agosto de 1986

Inauguração dos novos emissores a meia encosta do cabeço  do Castelo de Monsanto.

28 de Abril de 1987

Constituição de Rádio Clube de Monsanto como Cooperativa de Responsabilidade Limitada por Escritura Pública, no Cartório Notarial de Penamacor.

17 de Setembro de 1987

Publicação dos Estatutos da Cooperativa em Diário da República (III Série).

28 de Junho de 1988

Convívio dos sócios e amigos ouvintes da RCM na vila do Teixoso.

NOVOS EMISSORES DA RCM.

14 de Agosto de 1988

Entrada em funcionamento dos novos emissores de 1 kW, no ponto mais alto do Castelo de Monsanto, para melhor cobertura da região.

24 de Dezembro de 1988

Suspensão das emissões por imperativo da Lei da Rádio 338/88, de 28 de Setembro.

12 de Junho de 1989

Atribuição do Alvará para legalização do exercício da actividade de radiodifusão.

25 de Junho de 1989

Convívio popular, em Monsanto, para assinalar a atribuição do Alvará de legalização da RCM.

Compra da casa, em ruínas, da Família Mendonça Garcia para sede da Cooperativa RCM.

25 de Junho de 1989

Compra da casa, em ruínas, à família Mendonça Garcia, para sede da Cooperativa RCM.

Casa da Rádio já reconstruída

12 de Agosto de 1990

Inauguração das obras de reconstrução da Casa da Rádio Clube de Monsanto.

28 de Abril de 1991

Inauguração, na vila de Marvão, da carrinha de reportagem da RCM.

28 de Abril de 1991

Convívio dos sócios e amigos ouvintes da RCM em Santo António das Areias.

11 de Agosto de 1991

Convívio dos sócios e amigos ouvintes da RCM no Parque de Merendas da Floresta da Covilhã (Serra da Estrela).

Visita do senhor Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva à Emissora

6 de Setembro de 1992

Visita do senhor Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva à Emissora e entrevista em exclusivo à Rádio Clube de Monsanto.

23 de Maio de 1996

Atribuição à Rádio Clube de Monsanto do Diploma de Instituição de Utilidade Pública, concedido pelo senhor Primeiro Ministro, Engenheiro António Guterres.

16 de Agosto de 1997

Convívio em Monsanto, para assinalar o 12º. Aniversário da RCM, com os artistas que integraram o espectáculo “Raízes Rurais, Paixões Urbanas”, do Teatro Nacional S. João no Porto, sob a direcção do Dr. Ricardo Pais."

16 de Julho de 1999

No único estudo nacional encomendado pela Secretaria de Estado da Comunicação Social, a Rádio Clube de Monsanto aparece creditada como líder distrital de audiência, no Relatório Anual Bareme da Marketest.

CENTRO DE MICRO-COBERTURA DA RCM NAS TERMAS DE MONFORTINHO.

12 de Agosto de 2000

Inauguração do Emissor de Micro-cobertura das Termas de Monfortinho.

13 de Agosto de 2001

Constituição da Sociedade MonsantoRádio-Rádio Clube de Monsanto, Unipessoal, Limitada, por Escritura Pública, realizada no Cartório Notarial de Idanha-a-Nova.

28 de Maio de 2003

Actualização dos Estatutos da MonsantoRádio.

4 de Julho de 2003

O sócio Joaquim Manuel da Fonseca adquire a totalidade do capital social da empresa MonsantoRádio. Publicação em Diário da República (III Série), de 16 de Setembro de 2003.

14 de Agosto de 2004

Encerramento e liquidação da Cooperativa Rádio Clube de Monsanto. Publicação em Diário da República, III Série, de 1 de Junho de 2006.

Inauguração do Centro de Produção da Delegação da MONSANTORÁDIO-Rádio Clube de Monsanto

20 de Janeiro de 2005

Inauguração do Centro de Produção da Delegação da MonsantoRádio-Rádio Clube de Monsanto, Unipessoal, Limitada, na cidade de Castelo Branco.

10 de Novembro de 2005

Apresentação do site oficial da Rádio Clube de Monsanto, no Arquivo Distrital de Castelo Branco.

1 de Dezembro de 2005

A Rádio Clube de Monsanto, iniciou as suas emissões on-line, via Internet, transmitindo para todo o mundo, com o apoio da Associação Portuguesa de Radiodifusão/ROLI.

30 de Novembro de 2006

O site oficial da Rádio Clube de Monsanto passou a estar disponível, também, em versão inglesa.

Pagina do Sistema Broadcaster na RCM

15 de Agosto de 2007

Entrada em funcionamento do novo sistema de automação de emissão "Digital Broadcaster". Apresentação do novo logótipo da RCM e convívio dos amigos e ouvintes da RCM na “Aldeia Mais Portuguesa”.

9 de Abril de 2008

Cerca das 21 horas e 30 minutos uma violenta descarga eléctrica provocou a destruição quase total do Centro Emissor do Alto do Castelo de Monsanto e prejuízos muito graves nos estúdios. A emissão da RCM esteve interrompida durante quatro dias, sendo recomeçada com equipamentos de reserva. Os prejuízos foram avaliados em mais de quarenta mil euros, só parcialmente cobertos pelo seguro.

28 de Novembro de 2008

O senhor Presidente da República, Professor Aníbal Cavaco Silva inaugurou, na cidade de Mêda, a exposição “Ditosa Pátria Lusitana”, do Pintor Mestre José Manuel Soares, com o mais alto patrocínio, concepção e organização da RCM.

13 de Maio de 2009

Renovação da Licença à MonsantoRádio-Rádio Clube de Monsanto, Unipessoal, Limitada, para o exercício da actividade de radiodifusão por mais dez anos.

O site oficial da RCM

14 de Agosto de 2009

O site oficial da RCM atingiu já mais de meio milhão de visitantes (605.760) de todos os continentes e foi totalmente reestruturado, num melhor aproveitamento das novas tecnologias e ferramentas informáticas.

*

ALDEAMENTO SUSTENTÁVEL “MONSANTO VERDE”

Facebook

Escrito por CMIN em 2020-01-29 19:03:18

ALDEAMENTO SUSTENTÁVEL “MONSANTO VERDE”

    Turismo de Portugal dá ‘luz verde’ ao aldeamento sustentável Monsanto Verde Grupo francês investe dez milhões em aldeamento sustentável em Monsanto- Idanha-a-Nova.   Um grupo francês vai construir um aldeamento sustentável com 44 moradias ecológicas em Monsanto-Idanha-a-Nova, chamado "Monsanto Verde".     Perto da aldeia histórica de Monsanto, no concelho de Idanha-a-Nova, a sociedade de gestão "Monsanto Verde, Lda." acaba de ver aprovada a sua candidatura ao Turismo de Portugal para instalação de um aldeamento de 4 estrelas, composto por 44 moradias ecológicas e um edifício de apoio existente definido como ‘Casa da Herdade’. O complexo de 160 camas, situado numa herdade agrícola de 238 hectares, propriedade de Henri Salas, propõe um modo de vida sustentável, combinando o activo de residentes e turistas com uma envolvente total de agricultura biológica participativa. Rui Gomes-Pedro, gestor do projecto, doutorado em Estratégias Empresariais de Desenvolvimento Sustentável e docente na Universidade Sorbonne, em Paris, adianta que Monsanto Verde representa “um investimento de mais de 10 milhões de euros que contempla residências, hotelaria, restauração e explorações agrícolas diversas, todas elas biologicamente certificadas desde a sua produção à transformação para produto de consumo final. Oferecemos uma vida em plena natureza, seja para quem ali queira residir em permanência ou fazer turismo num território que é reserva natural e protegido pela UNESCO”. O número de moradias previstas responde à capacidade adequada para o território. As moradias de construção bioclimática garantem total conforto e são construídas com as mais recentes tecnologias, técnicas e metodologias ecológicas, usam materiais locais e respeitam os códigos de herança rural da região. De forma a habitar em comunhão com a natureza, houve um cuidado especial em cada localização que, de forma equilibrada, abraça a vegetação espontânea garantindo elevada privacidade e facultando também a cada posição um excelente horizonte de natureza. A privacidade e a comunhão com a natureza foram, provavelmente, os temas mais difíceis de todo o projecto face às inúmeras condições impostas para boa execução do complexo. Os acessos às moradias fazem-se pelos caminhos de outrora, parte deles já recuperados e reabilitados com a matéria local. Especialista de renome na aplicação do desenvolvimento sustentável nas empresas, Rui Gomes-Pedro explica que a escolha de Monsanto para instalação deste projecto teve em consideração factores estratégicos como a boa imagem de Portugal no mercado francófono, a centralidade ibérica da região – a meio caminho entre Lisboa e Madrid –, boas acessibilidades e políticas locais alinhadas com a promoção dos valores ambientais. Para o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, “o empreendimento Monsanto Verde foi, desde logo, acarinhado por ir de encontro à estratégia de sustentabilidade que temos para o território. A mesma assenta na criação de riqueza e emprego, através da aposta na economia verde, na economia circular e nos circuitos curtos de comercialização, valorizando os nossos recursos naturais e o nosso património”. O projecto Monsanto Verde pretende deixar uma marca positiva na comunidade. Para além do impacto na economia local, os promotores pretendem colaborar na formação de estudantes, nos sectores da hotelaria e da restauração, em parceria com escolas de ensino profissional e superior. Reinventar a “arte de viver do futuro” é, em suma, a frase chave da Monsanto Verde. Capaz de combinar conhecimento ancestral e tecnologias recentes, mais do que vender casas ecológicas, este projecto que tem a assinatura do arquitecto Mário Benjamim, oferece um conceito de vida em harmonia com a natureza, num território inserido na rede europeia de Bio-Regiões (Eco-Regions) e com três classificações da UNESCO.  

Ler mais

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Facebook

Escrito por RCM em 2020-01-24 14:24:47

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS.   Quem nos acode?   Por mais que tentem os operadores de Rádio, só por si, muito dificilmente ultrapassarão as dificuldades sem apoio público. É aqui que entra a opção política de quem manda no Estado.   O País necessita ou não de uma Comunicação Social livre, dispersa (propriedade) e independente? Se a resposta for sim, então vai ser necessário criar e desenvolver um sistema eficaz de apoios ou incentivos – conforme se lhes quiser chamar – indirectos que ajudem a desenvolver uma infra-estrutura digital nacional para a Comunicação Social, a suportar os respectivos custos de distribuição e de desenvolvimento de software.   Não nos castiguem com taxas e taxinhas e exigências como se fossemos uma empresa cotada em bolsa...   SOMOS UMA INSTITUIÇÃO CULTURAL DE INTERESSE PÚBLICO...mas em risco de fechar a curto prazo, se nos obrigarem também a pagar os "direitos conexos". Que nem sabemos o que isso é...   Vivemos de uma única fonte financeira: a publicidade, que em cada dia é mais escassa...pois a crise não passa e as empresas da região estão a encerrar a um ritmo desolador. Não nos vendam ilusões. O tempo não é nada animador. Fora com os vendilhões...   …………………………………………. “É uma pena que o fisco seja tão lesto no que se reporta aos pequenos devedores e deixe escapar os monstros. Querem que acreditemos que são só inertes mas já é incompetência a mais.” Rita Garcia Pereira

Ler mais

UM BOM ANO PARA TODOS

Facebook

Escrito por RCM em 2020-01-01 16:37:13

UM BOM ANO PARA TODOS

  Já estamos no novo ano, o ano do duplo 20, foi um ano referido para muita coisa, mas não passou de meras referências.   Dum modo geral, a nível económico e político, nada se espera de novo, o Governo continuará a sua evolução na continuidade, tentando equilibrar as contas públicas, com reduzido investimento público e com uma pesada carga fiscal.   Não se afigura grande vontade em contrariar a crise existente na generalidade da comunicação social, todavia têm-se verificado várias pressões, especialmente do Senhor Presidente da República que não perde uma única ocasião para se referir ao assunto.   Acresce a este problema a agudização da crise no sector da imprensa e, por arrastamento, grandes dificuldades para um número significativo de jornalistas, o que sensibiliza mais os políticos do que a situação da Rádio e dos seus profissionais, muitos deles também jornalistas. Porém, se qualquer medida for tomada, dificilmente o sector da Rádio será excluído, ainda que beneficie muito menos do que a Imprensa.   Existe a dúvida, mas também a esperança, sempre a esperança… de que talvez um dia percebam mesmo o problema, poderá ser neste novo ano, assim o desejamos.

Ler mais

PETIÇÃO PÚBLICA EM DEFESA DO ENSINO SUPERIOR EM IDANHA-A-NOVA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-12-28 19:12:57

PETIÇÃO PÚBLICA  EM DEFESA DO ENSINO SUPERIOR EM IDANHA-A-NOVA

    Para que a Escola Superior de Gestão se mantenha com a sede, na Vila de Idanha-a-Nova, o Movimento pela sua Autonomia pede aos naturais, residentes e amigos do Concelho de Idanha-a-Nova e aos que defendem o interior do País, que assinem, com a máxima urgência, a petição pública que está on line, no facebook, ou em folhas de papel, distribuídas por todas as freguesias do Concelho. Este território não pode ser mais esvaziado. Este povo raiano não merece ser castigado. Contamos consigo, para garantir um futuro melhor para os nossos filhos e netos. Bem-haja.

Ler mais

LEI DA TRANSPARÊNCIA

Facebook

Escrito por RCM em 2019-11-23 18:07:32

LEI DA TRANSPARÊNCIA

LEI DA TRANSPARÊNCIA   NFORMAÇÃO INSTITUCIONAL DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO (Publica-se nos termos da Lei da transparência nos meios da comunicação social) Director Executivo: Professor Joaquim Manuel da Fonseca a) - Capital Social: 142.047,72 €; b) - Sócio único e detentor da totalidade do capital social da empresa MONSANTORÁDIO; c) - Administrador e Gestor da RCM: http://www.radiomonsanto.pt/…/pdf/administrador_e_gestor.pdf d) - Responsável pela orientação e pela supervisão do conteúdo das emissões da RCM; e) - Estatuto Editorial da RCM: http://www.radiomonsanto.pt/ficheiros/pdf/estatuto.pdf

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2020 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line