Tribuna Livre

SAUDAÇÃO AOS OUVINTES DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO EM QUALQUER PARTE DO MUNDO

Escrito por RCM em 2016-11-05 19:05:13

SAUDAÇÃO AOS OUVINTES DA RÁDIO CLUBE DE MONSANTO EM QUALQUER PARTE DO MUNDO

Em cada manhã, transmitimos uma saudação para os ouvintes da Frequência Modulada, e também para todo o mundo, e especialmente para os povos da Lusofonia, que escutam a Rádio Clube de Monsanto através da internet em:   www.radiomonsanto.pt     PARA OUVIR VÁ PARA O LINK :   https://soundcloud.com/joaquim-manuel-da-fonseca/saudacao-de-abertura-de-emissao-da-radio-clube-de-monsanto-aldeia-mais-portuguesa?utm_source=soundcloud&utm_campaign=share&utm_medium=facebook

O BICHINHO DA RÁDIO…já lá vai mais de meio século.

Escrito por RCM em 2016-08-23 18:09:48

O BICHINHO DA RÁDIO…já lá vai mais de meio século.

No nosso meio, fala-se em se apanhar, ou não, o bichinho da rádio como se de uma doença se tratasse. Ainda que não se conheça com exactidão os contornos desta “doença” pode dizer-se que há muita gente contaminada por ela e só isso pode explicar a dedicação que a rádio merece por muitos dos seus fazedores, apesar das diversas vicissitudes que sobre ela se têm abatido. É curioso que na comunicação social não se fala do bichinho da imprensa ou da televisão, mas é frequente entre os seus profissionais que já tiveram ligação à rádio, falar-se do tal bichinho, mas da rádio. Continuando a analogia com a medicina, esta “doença” parece tratar-se de um síndroma pois, na minha opinião, são vários os sinais e os sintomas que a caracterizam. O gosto pela comunicação é talvez o primeiro motivo deste apego desmesurado à rádio, com maior ou menor proximidade com os ouvintes – ainda que a rádio dê, para quem a faz, sempre a sensação de grande proximidade, mesmo que ela não exista – tanto no aspecto informativo como de entretenimento, o jornalista ou radialista fica emocionalmente afectado por aquela relação forte, mas misteriosa, com os ouvintes. Depois, sendo a rádio o reconhecido parente pobre da Comunicação Social e sendo cada vez mais prejudicada, é merecedora de afecto e de grande dedicação por parte de todos aqueles que a fazem. Também a envolvente técnica contribui para uma paixão exacerbada pelo meio, mas não é uma paixão totalmente semelhante à verdadeira paixão, é qualquer coisa de inexplicavelmente atractivo que se entranha e puxa para novos e sucessivos desafios. O desafio da descoberta, construção e desenvolvimento de novos produtos radiofónicos também é apaixonante e doentio. Como facilmente se compreenderá a existência deste síndroma chamado de “bichinho” tem sido de grande utilidade para a Rádio e pode ser a chave do mistério que subsiste em saber porque é que os fazedores da rádio apesar de mal tratados, ignorados e, aquilo que mais dói, humilhados, pelos vários poderes, com grande destaque para o político, por si, ou com a sua conivência e responsabilidade e de todas as dificuldades económicas, causadas pela crise económica, continuam a votar-lhe tão grande dedicação e a dar-lhe horas e horas de trabalho, muito para além da respectiva retribuição. Quem trabalhou, ou colaborou, numa rádio e adquiriu o “bichinho da rádio” jamais esquece esse maravilhoso meio de comunicação social e sempre que a oportunidade o permite volta com a mesma vontade e dedicação como se fosse a primeira vez. Estou convencido de que os próprios ouvintes conhecem este fenómeno e sabem distinguir entre quem do outro lado sofre, ou não, deste síndroma e isso aumenta ainda mais o seu gosto pela rádio e contribui decisivamente para a sua credibilidade.   José Faustino  PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE RADIODIFUSÃO

VIVER A COMUNICAR

Escrito por Ana Carvalho (Mestre em Comunicação e Jornalismo) em 2016-02-24 15:31:54

VIVER A COMUNICAR

  A história de Joaquim Manuel da Fonseca, um comunicador que partilha conhecimento, afeto e alegria de Monsanto para o mundo.

HISTÓRIA DO CÃO MONSANTINO MEDALHADO EM PROVA INTERNACIONAL

Escrito por João Carlos Fonseca e Rui Pedro Fonseca em 2015-05-04 11:24:28

HISTÓRIA DO CÃO MONSANTINO MEDALHADO EM PROVA INTERNACIONAL

Um cão de Monsanto, sem raça definida, foi a principal estrela de uma ultramaratona de 277km que passou por esta aldeia histórica. The Crossroads é o nome do formato português da prova que faz parte de um dos mais conhecidos eventos de ultra trail em todo o mundo, o Trans Pangaea Challenge. 

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Escrito por Joaquim Manuel da Fonseca em 2015-01-12 14:22:34

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Penso eu que neste ano de 2015 continuaremos a viver num cenário de dificuldades e de desemprego, pintado com cores sombrias e negras. Muitas rádios locais vão mesmo ter que parar as suas emissões. Nomeadamente ao nível dalguns concelhos do interior, onde certos caciques não resistem à tentação de impor a sua força e a sua vontade discricionária e prepotente, os detentores de Alvarás de Radiodifusão Sonora estão a ser empurrados para o encerramento definitivo duma actividade reconhecida e querida pelas populações. Porém, e, de forma impiedosa, as Rádios Locais estão a fechar e curiosamente alguns responsáveis do território parecem pouco se preocupar. Claro que é difícil resistir, em tais condições, à asfixia financeira, às pressões e às chantagens, ainda que veladas, mormente nesta complexa altura de grave crise económica, que teima em não passar…Nós não temos MEDO. Jamais viveremos de joelhos. Quando chegar a nossa hora morreremos de pé, com toda a DIGNIDADE. Ansiamos poder celebrar, com alguma tranquilidade, os 30 anos em prol da divulgação e da promoção da nossa terra e da Música Portuguesa, no país e no mundo. Se as coisas não se alterarem, para melhor, no final de Dezembro, admitimos fazer um balanço, para jamais ser importunados pelos senhores do fisco, da Segurança Social ou por qualquer vampiro. Se as Rádios das grandes cidades vão fechando, mesmo estando encostadas a poderosos grupos económicos ou políticos...qual a sorte das Rádios das pequenas aldeias? Recordamos que a RCM sempre sobreviveu com sérias dificuldades humanas e financeiras desde 1985... Uma luta diária caldeada com muitos sacrifícios e renúncias. Mas com ORGULHO. Não queremos subsídios do Estado. Pedimos que não nos castiguem com impostos e taxas injustas e insuportáveis, e, assim podermos continuar, por mais alguns meses ou anos, a prestar um serviço de utilidade pública e a ser a voz dos que não têm voz e a ajudar a combater a SOLIDÃO das gentes simples destas terras do interior profundo, desertificado e abandonado...onde tudo parece estar condenado a ENCERRAR... Queremos continuar a prestar um SERVIÇO DE INTERESSE PÚBLICO e temos direito ao reconhecimento e estímulo institucional. Deixem-nos trabalhar em paz.

Páginas: 1 | 2 | 3 |

CINCO MUNICÍPIOS DA REGIÃO CENTRO LANÇAM PROJECTO CULTURAL EM REDE

Facebook

Escrito por Lusa em 2018-01-08 15:22:40

CINCO MUNICÍPIOS DA REGIÃO CENTRO LANÇAM PROJECTO CULTURAL EM REDE

Os municípios de Idanha-a-Nova, Águeda, Lousã, Óbidos e São Pedro do Sul apresentaram o projecto "5 municípios, 5 culturas, 5 sentidos", cujo objectivo é afirmar novas centralidades culturais fora dos grandes centros urbanos. O projecto liderado pela Câmara de Idanha-a-Nova, envolve mais quatro municípios da Região Centro e tem uma duração de três anos, sendo que os objectivos passam pela promoção de iniciativas culturais inovadoras, estimulação da criação artística e a reinterpretação cultural, através da imagem externa dos municípios envolvidos enquanto territórios que acolhem as artes e a criatividade.  

Ler mais

MONSANTO RECEBE UM MILHÃO DE EUROS DE INVESTIMENTO PARA VALORIZAÇÃO TURÍSTICA

Facebook

Escrito por Lusa em 2018-01-08 15:19:31

MONSANTO RECEBE UM MILHÃO DE EUROS DE INVESTIMENTO PARA VALORIZAÇÃO TURÍSTICA

A aldeia histórica de Monsanto, em Idanha-a-Nova, vai receber um milhão de euros de investimento para a sua valorização e qualificação enquanto destino turístico no âmbito do programa Valorizar. O contrato assinado no posto de turismo de Monsanto, entre o município de Idanha-a-Nova e o Turismo de Portugal, tem como objectivos principais valorizar o acesso à aldeia histórica, a instalação de um sistema inteligente de gestão de tráfego e de estacionamento, aquisição e instalação de uma ferramenta digital com informação sobre Monsanto e sobre a rede de aldeias históricas de Portugal. "Este projecto com o Turismo de Portugal visa valorizar Monsanto. Estamos a ter problemas de crescimento. Temos queixas por falta de estacionamento que têm causado muito desconforto a quem nos visita", explicou o presidente do município de Idanha-a-Nova durante a apresentação do projecto. Armindo Jacinto explicou que este investimento, no âmbito do programa Valorizar, é feito em cooperação com outros que a Rede de Aldeias Históricas de Portugal está a promover.  

Ler mais

MORREU O PINTOR, MESTRE JOSÉ MANUEL SOARES

Facebook

Escrito por RCM em 2017-12-31 16:42:46

MORREU O PINTOR, MESTRE JOSÉ MANUEL SOARES

PARTIU O PINTOR DA PORTUGALIDADE O Grande Mestre José Manuel Soares, com 85 anos de idade, terminou, nesta madrugada, do último dia do ano de 2017, em sua casa, na Rua de Timor, na Costa de Caparica, um Calvário de grande sofrimento, por doença desde 2002. Merecia (em vida) ter sido melhor HONRADO, JUSTIÇADO E LEMBRADO, premiando a sua vastíssima obra, com representação em museus nacionais e estrangeiros, bem como em galerias e colecções particulares.  O Pintor JOSÉ MANUEL SOARES encarnou o verdadeiro espírito épico de Portugal.  Exemplarmente pincelado por um dos maiores artistas contemporâneos. NESTA HORA, DE LUTO E DOR,VEM-ME AO PENSAMENTO O ESCRITO DE MIGUEL ESTEVES CARDOSO, IN “ÚLTIMO VOLUME”: “Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está? As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar. Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre…. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguém antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar. É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si, isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução… Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado. O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar. " Um sentido abraço solidário à esposa, Dona Ângela Vimonte, e aos muitos admiradores e amigos do Mestre Soares. Para a posteridade, ficam as milhares de obras de arte, nomeadamente no Museu com o seu nome, na cidade de Pinhel Falcão, desde 2014. Que a sua Alma repouse em Paz.

Ler mais

AUTARQUIA E BOOM FESTIVAL ACORDAM COOPERAÇÃO PARA OS PRÓXIMOS 10 ANOS

Facebook

Escrito por RCM em 2017-12-21 10:10:31

AUTARQUIA E BOOM FESTIVAL ACORDAM COOPERAÇÃO PARA OS PRÓXIMOS 10 ANOS

A Câmara de Idanha-a-Nova e a organização do Boom Festival assinaram um protocolo de cooperação para os próximos 10 anos com o objectivo de tornar o concelho na “Capital do Bem-Estar em 2028”. Num comunicado conjunto, o município de Idanha-a-Nova reconhece a importância dos eventos organizados pela Associação IdanhaCulta, responsável pela gestão da Herdade da Granja e do Boom Festival, para a economia local. A autarquia compromete-se a colaborar com a organização e a criar condições favoráveis a vários projectos de sustentabilidade ambiental com base na herdade de 150 hectares. Para o efeito, a associação IdanhaCulta quer criar um Parque de Artes e Natureza que seja um ícone mundial e contribuir deste modo para tornar Idanha-a-Nova na “Capital do Bem-Estar em 2028”.  

Ler mais

CENTRO REPETIDOR DAS TERMAS DE MONFORTINHO TEVE EMISSÃO INTERROMPIDA

Facebook

Escrito por RCM em 2017-12-13 14:25:10

CENTRO REPETIDOR DAS TERMAS DE MONFORTINHO TEVE EMISSÃO INTERROMPIDA

Na noite do passado dia 10, o Centro Emissor da Rádio Clube de Monsanto, nas Termas de Monfortinho ficou sem emissão por causa das adversas condições climatéricas e devido a algumas interrupções de energia eléctrica, que afectaram os nossos equipamentos e as antenas naquela localidade de fronteira.   Também por dificuldades de acesso à serra contígua, só hoje, cerca das 11 horas foi possível normalizar a emissão, e a desejada retoma da cobertura da zona raiana, que inclui a estremadura espanhola, que a RCM assegura regularmente desde o ano de 1999.   Apresentamos desculpas aos senhores ouvintes pelos transtornos.  

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2018 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line