Breve resenha histórica da RCM

Os primeiros emissores da Rádio Clube de Monsanto (1985)

“Era uma vez...” é assim que principiam quase todas as histórias. Porém a história da RCM começa um pouco diferente. Na sua origem estão muita motivação e uma grande vontade e um enorme desejo de concretização de um projecto radiofónico, ao serviço do regionalismo.

E é assim que, em 1985, a aventura nasce, levada a cabo por dois radioamadores: O Dr. Joaquim Manuel da Fonseca, CT1 BRJ, antigo locutor da Rádio Altitude da Guarda e da ex-Emissora Oficial de Timor e o senhor Reinaldo Pedro Ramos Serra, CT1 BJS, técnico de electricidade. A pedido do Dr. Joaquim Fonseca, o senhor Reinaldo Serra constrói, com meios artesanais e rudimentares, um pequeno emissor de Frequência Modulada, que entra no ar em regime experimental, a 8 e 9 de Junho, já sob a designação emblemática de Rádio Clube de Monsanto. Daí até às emissões regulares foi um instante, estas têm início, precisamente, no dia 14 de Agosto de 1985, com o patrocínio da Casa do Povo de Monsanto.

A Rádio Clube de Monsanto constituiu-se, posteriormente, como Cooperativa, através de Escritura Pública, no Cartório Notarial de Penamacor, em 28 de Abril de 1987, com sede na freguesia de Monsanto, concelho de Idanha-a-Nova, e cujos Estatutos foram publicados em Diário da República, III Série, de 17 de Setembro de 1987.

Citando os seus Estatutos:

“ O objecto da RCM é criar e manter, nos termos da lei, uma estação emissora de radiodifusão em Monsanto, com características regionais”.

Como era habitual acontecer com as rádios locais, a RCM por essa altura não possuía alvará, o que a leva a silenciar os seus emissores à meia-noite do dia 24 de Dezembro de 1988, em cumprimento da lei. O regresso dá-se cerca de cinco meses depois e para grande alegria dos seus ouvintes, a RCM, já legalizada, volta a estar no ar, curiosamente, a 8 de Junho de 1989. É a partir desse momento que passa a transmitir em Frequência Modulada, nos 98.7 Mhz, Estéreo/RDS, com a licença 20231 e o indicativo CSB 652 e, desde o ano de 2000, também, nos 107.8 Mhz (nas Termas de Monfortinho).

Em 23 de Maio de 1996 a emissora é distinguida, pelo senhor Primeiro Ministro, com o Diploma de Instituição de Utilidade Pública.

A RCM começou por ser uma iniciativa de natureza cultural e sem fins lucrativos, funcionando como secção autónoma da Casa do Povo de Monsanto, com mais de uma centena de sócios, que lhe garantiram o apoio e motivação que levaram à sua criação, com o objectivo de preencher um espaço vazio nesta zona da Beira Interior , tão depauperada e esquecida e com uma história e cultura preciosas, abundando os vestígios dum passado de valor inestimável, havendo ainda por descobrir um considerável espólio secular.

Qualquer instituição que apareça com o objectivo de divulgar estes valores, de os manter bem vivos, de contribuir para o seu não esquecimento e desaparecimento, é digna que se lhes preste o incentivo necessário à sua existência.

É nesta situação que se encontra, também, a Rádio Clube de Monsanto, Sociedade Unipessoal, Limitada, desde 13 de Agosto de 2001, com Estatutos actualizados por escritura pública feita no Cartório Notarial de Idanha-a-Nova, em 28 de Maio de 2003. A RCM é, na verdade, uma emissora muito apreciada pela gente raiana que , com a maior prontidão e carinho adere, duma forma expontânea, a toda a iniciativa que contribua para manter bem viva a sua Rádio popular, porque é uma voz que fala dos seus problemas e da sua terra.

A RCM transmite, desde 1990, vinte e quatro horas ininterruptas por dia, sendo a sua programação, em termos gerais, caracterizada pela prioridade dada à música portuguesa e aos nossos valores tradicionais.

A RCM tem ainda apoiado os principais acontecimentos culturais, desportivos e sociais do concelho de Idanha-a-Nova e da região e os seus microfones têm também sido colocados à disposição de colectividades, instituições e autarquias para a divulgação dos seus eventos, reivindicações e projectos, sempre com independência, isenção e pluralismo.

A prioridade foi, desde a primeira hora, a salvaguarda e a promoção das potencialidades históricas, turísticas e naturais da Beira Baixa e particularmente do concelho de Idanha-a-Nova e das suas gentes raianas.

Ao longo dos anos, e, sempre com a quotização voluntária e generosa de muitos ouvintes, assistimos a um crescente melhoramento das actividades da RCM, com implantação de instalações próprias, novos estúdios de produção e centros emissores, computorização dos serviços fixos e de reportagem, novas antenas, etc.. Este progresso, como tudo, não seria possível sem bons e maus momentos, sem lutas e conquistas e, por isso, a RCM tem na sua história períodos de vida difícil, de algumas incompreensões, mas tem, também, tempos de muita alegria, caracterizadas por gratificantes amizades, cultivadas através da “caixinha mágica da música” .

Um grande estímulo foi a constatação que a RCM era líder distrital de audiência, comprovado por estudo, de âmbito nacional, de uma empresa da especialidade, a Marktest, encomendado pela Secretaria de Estado da Comunicação Social.

É neste âmbito, que surge o desejo de continuar e principalmente de fazer mais e melhor, apesar das carências humanas e financeiras. A caminhada não conhece, porém, aqui o seu fim. Antes pelo contrário, seguiu um novo rumo : Castelo Branco, ou não fosse a RCM uma instituição habituada a desafios.

O moderno e funcional Centro de Produção da Delegação de Castelo Branco, oficialmente inaugurado em 20 de Janeiro de 2005, conta com mais de uma vintena de colaboradores especializados, que são uma mais valia para os objectivos radiofónicos da emissora da “Aldeia Mais Portuguesa”, já há muito um caso de singular popularidade.

Hoje a RCM é sintonizada por milhares e milhares de amigos espalhados pela Beira Baixa, Beira Alta, Alto Alentejo e Estremadura Espanhola, e, no presente, também, por novos ouvintes dispersos pelos cinco continentes, que nos contactam graças às facilidades tecnológicas da Internet em  www.radiomonsanto.pt.  Esta nova e maravilhosa forma de comunicar e aproximar está a transformar o nosso planeta numa autêntica “aldeia global” !

Desde o ano de 2005 o sítio  www.radiomonsanto.pt   já foi visitado por mais de meio milhão de pessoas de todos os continentes.
Na sua recente e sofisticada versão o sítio mais português de Portugal irá receber, por certo, ainda um maior interesse da parte dos milhares de cibernautas espalhados por todos os cantos do mundo.

Nesta histórica aventura, a um ano de celebrar as "Bodas de Prata", mesmo contra alguns ventos e marés , o futuro é olhado com serenidade e confiança, porque a causa é justa e por ela vale a pena lutar...

A RCM deu uma grande prova: que os interesses e aspirações são sempre possíveis de associar à tradição e à cultura, sem esquecer a História, mas pugnando sempre por novas realizações, que contribuam para o progresso, esse progresso que torna a vida menos difícil e mais bela, nestas terras tão marginalizadas e esquecidas, deste interior profundo, onde, apesar de tudo, há ainda boa gente a querer viver e a resistir, para que jamais se percam a identidade e a História do Povo Português.

Para saber mais sobre a HISTÓRIA DA RCM

Veja "RECORTES DE JORNAIS" - nacionais e regionais  e “GALERIA DE FOTOS ” (1985-2009).

CINCO MUNICÍPIOS DA REGIÃO CENTRO LANÇAM PROJECTO CULTURAL EM REDE

Facebook

Escrito por Lusa em 2018-01-08 15:22:40

CINCO MUNICÍPIOS DA REGIÃO CENTRO LANÇAM PROJECTO CULTURAL EM REDE

Os municípios de Idanha-a-Nova, Águeda, Lousã, Óbidos e São Pedro do Sul apresentaram o projecto "5 municípios, 5 culturas, 5 sentidos", cujo objectivo é afirmar novas centralidades culturais fora dos grandes centros urbanos. O projecto liderado pela Câmara de Idanha-a-Nova, envolve mais quatro municípios da Região Centro e tem uma duração de três anos, sendo que os objectivos passam pela promoção de iniciativas culturais inovadoras, estimulação da criação artística e a reinterpretação cultural, através da imagem externa dos municípios envolvidos enquanto territórios que acolhem as artes e a criatividade.  

Ler mais

MONSANTO RECEBE UM MILHÃO DE EUROS DE INVESTIMENTO PARA VALORIZAÇÃO TURÍSTICA

Facebook

Escrito por Lusa em 2018-01-08 15:19:31

MONSANTO RECEBE UM MILHÃO DE EUROS DE INVESTIMENTO PARA VALORIZAÇÃO TURÍSTICA

A aldeia histórica de Monsanto, em Idanha-a-Nova, vai receber um milhão de euros de investimento para a sua valorização e qualificação enquanto destino turístico no âmbito do programa Valorizar. O contrato assinado no posto de turismo de Monsanto, entre o município de Idanha-a-Nova e o Turismo de Portugal, tem como objectivos principais valorizar o acesso à aldeia histórica, a instalação de um sistema inteligente de gestão de tráfego e de estacionamento, aquisição e instalação de uma ferramenta digital com informação sobre Monsanto e sobre a rede de aldeias históricas de Portugal. "Este projecto com o Turismo de Portugal visa valorizar Monsanto. Estamos a ter problemas de crescimento. Temos queixas por falta de estacionamento que têm causado muito desconforto a quem nos visita", explicou o presidente do município de Idanha-a-Nova durante a apresentação do projecto. Armindo Jacinto explicou que este investimento, no âmbito do programa Valorizar, é feito em cooperação com outros que a Rede de Aldeias Históricas de Portugal está a promover.  

Ler mais

MORREU O PINTOR, MESTRE JOSÉ MANUEL SOARES

Facebook

Escrito por RCM em 2017-12-31 16:42:46

MORREU O PINTOR, MESTRE JOSÉ MANUEL SOARES

PARTIU O PINTOR DA PORTUGALIDADE O Grande Mestre José Manuel Soares, com 85 anos de idade, terminou, nesta madrugada, do último dia do ano de 2017, em sua casa, na Rua de Timor, na Costa de Caparica, um Calvário de grande sofrimento, por doença desde 2002. Merecia (em vida) ter sido melhor HONRADO, JUSTIÇADO E LEMBRADO, premiando a sua vastíssima obra, com representação em museus nacionais e estrangeiros, bem como em galerias e colecções particulares.  O Pintor JOSÉ MANUEL SOARES encarnou o verdadeiro espírito épico de Portugal.  Exemplarmente pincelado por um dos maiores artistas contemporâneos. NESTA HORA, DE LUTO E DOR,VEM-ME AO PENSAMENTO O ESCRITO DE MIGUEL ESTEVES CARDOSO, IN “ÚLTIMO VOLUME”: “Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está? As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar. Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre…. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguém antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar. É preciso aceitar esta mágoa esta moinha, que nos despedaça o coração e que nos mói mesmo e que nos dá cabo do juízo. É preciso aceitar o amor e a morte, a separação e a tristeza, a falta de lógica, a falta de justiça, a falta de solução. Quantos problemas do mundo seriam menos pesados se tivessem apenas o peso que têm em si, isto é, se os livrássemos da carga que lhes damos, aceitando que não têm solução… Dizem-nos, para esquecer, para ocupar a cabeça, para trabalhar mais, para distrair a vista, para nos divertirmos mais, mas quanto mais conseguimos fugir, mais temos mais tarde de enfrentar. Fica tudo à nossa espera. Acumula-se-nos tudo na alma, fica tudo desarrumado. O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar. " Um sentido abraço solidário à esposa, Dona Ângela Vimonte, e aos muitos admiradores e amigos do Mestre Soares. Para a posteridade, ficam as milhares de obras de arte, nomeadamente no Museu com o seu nome, na cidade de Pinhel Falcão, desde 2014. Que a sua Alma repouse em Paz.

Ler mais

AUTARQUIA E BOOM FESTIVAL ACORDAM COOPERAÇÃO PARA OS PRÓXIMOS 10 ANOS

Facebook

Escrito por RCM em 2017-12-21 10:10:31

AUTARQUIA E BOOM FESTIVAL ACORDAM COOPERAÇÃO PARA OS PRÓXIMOS 10 ANOS

A Câmara de Idanha-a-Nova e a organização do Boom Festival assinaram um protocolo de cooperação para os próximos 10 anos com o objectivo de tornar o concelho na “Capital do Bem-Estar em 2028”. Num comunicado conjunto, o município de Idanha-a-Nova reconhece a importância dos eventos organizados pela Associação IdanhaCulta, responsável pela gestão da Herdade da Granja e do Boom Festival, para a economia local. A autarquia compromete-se a colaborar com a organização e a criar condições favoráveis a vários projectos de sustentabilidade ambiental com base na herdade de 150 hectares. Para o efeito, a associação IdanhaCulta quer criar um Parque de Artes e Natureza que seja um ícone mundial e contribuir deste modo para tornar Idanha-a-Nova na “Capital do Bem-Estar em 2028”.  

Ler mais

CENTRO REPETIDOR DAS TERMAS DE MONFORTINHO TEVE EMISSÃO INTERROMPIDA

Facebook

Escrito por RCM em 2017-12-13 14:25:10

CENTRO REPETIDOR DAS TERMAS DE MONFORTINHO TEVE EMISSÃO INTERROMPIDA

Na noite do passado dia 10, o Centro Emissor da Rádio Clube de Monsanto, nas Termas de Monfortinho ficou sem emissão por causa das adversas condições climatéricas e devido a algumas interrupções de energia eléctrica, que afectaram os nossos equipamentos e as antenas naquela localidade de fronteira.   Também por dificuldades de acesso à serra contígua, só hoje, cerca das 11 horas foi possível normalizar a emissão, e a desejada retoma da cobertura da zona raiana, que inclui a estremadura espanhola, que a RCM assegura regularmente desde o ano de 1999.   Apresentamos desculpas aos senhores ouvintes pelos transtornos.  

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2018 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line