Tribuna Livre

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Escrito por Joaquim Manuel da Fonseca em 2015-01-12 14:22:34

Classifique este texto

Classificação: 4.8 (194 Votos)

A LENTA AGONIA DAS RÁDIOS LOCAIS

Penso eu que neste ano de 2015 continuaremos a viver num cenário de dificuldades e de desemprego, pintado com cores sombrias e negras. Muitas rádios locais vão mesmo ter que parar as suas emissões. Nomeadamente ao nível dalguns concelhos do interior, onde certos caciques não resistem à tentação de impor a sua força e a sua vontade discricionária e prepotente, os detentores de Alvarás de Radiodifusão Sonora estão a ser empurrados para o encerramento definitivo duma actividade reconhecida e querida pelas populações. Porém, e, de forma impiedosa, as Rádios Locais estão a fechar e curiosamente alguns responsáveis do território parecem pouco se preocupar.

Claro que é difícil resistir, em tais condições, à asfixia financeira, às pressões e às chantagens, ainda que veladas, mormente nesta complexa altura de grave crise económica, que teima em não passar…Nós não temos MEDO. Jamais viveremos de joelhos. Quando chegar a nossa hora morreremos de pé, com toda a DIGNIDADE.

Ansiamos poder celebrar, com alguma tranquilidade, os 30 anos em prol da divulgação e da promoção da nossa terra e da Música Portuguesa, no país e no mundo. Se as coisas não se alterarem, para melhor, no final de Dezembro, admitimos fazer um balanço, para jamais ser importunados pelos senhores do fisco, da Segurança Social ou por qualquer vampiro.

Se as Rádios das grandes cidades vão fechando, mesmo estando encostadas a poderosos grupos económicos ou políticos...qual a sorte das Rádios das pequenas aldeias?

Recordamos que a RCM sempre sobreviveu com sérias dificuldades humanas e financeiras desde 1985... Uma luta diária caldeada com muitos sacrifícios e renúncias. Mas com ORGULHO.

Não queremos subsídios do Estado. Pedimos que não nos castiguem com impostos e taxas injustas e insuportáveis, e, assim podermos continuar, por mais alguns meses ou anos, a prestar um serviço de utilidade pública e a ser a voz dos que não têm voz e a ajudar a combater a SOLIDÃO das gentes simples destas terras do interior profundo, desertificado e abandonado...onde tudo parece estar condenado a ENCERRAR...

Queremos continuar a prestar um SERVIÇO DE INTERESSE PÚBLICO e temos direito ao reconhecimento e estímulo institucional.

Deixem-nos trabalhar em paz.

Deixe aqui seu comentário

Os campos assinalados com (*), são de preenchimento obrigatório.

Código de Segurança

 

Comentários

JOSÉ MARQUES GONÇALO - FUNDÃO

Foi saudável ler o desabafo de quem não dobra a cerviz e continua a lutar numa terra de "acobardados".

Parabéns Dr. Joaquim Fonseca.
Aqui jaz um da mesma têmpera e por isso louvei o artigo.

2016-02-01

JOSÉ DA CONCEIÇÃO GONÇALVES - CASTELO BRANCO

Quanto ao que atrás foi dito, subscrevo por inteiro,acrescentando que a Rádio de Monsanto é das Rádios regionais, e de algumas das rádios nacionais,que melhor cumpre a sua função. Por tanto, parabéns.
E continuem....para sempre.

2016-01-17

MANUEL MARTINS AFONSO
SÃO PAULO
BRASIL

A Rádio de Monsanto esta não pode deixar de funcionar, se sabemos alguma coisa útil e ouvimos músicas Portuguesas é a Rádio de Monsanto que nos dá essa alegria, é um absurdo o que está acontecendo em Portugal temos que dar valor aquilo que é a pura realidade que a popularidade é RÁDIO DE MONSANTO.

VAMOS EM FRENTE, SOU ALBICASTRENSE MAS SOU PORTUGUÊS DE VERDADE.

Abraço ao meu amigo Joaquim da Fonseca

2015-11-19

Páginas: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 |

Voltar para a página de Tribuna Livre

QUINTA EDIÇÃO DO CINEMA PORTUGUÊS EM MOVIMENTO COMEÇA EM MONSANTO

Facebook

Escrito por RCM/Lusa em 2017-06-22 15:21:45

QUINTA EDIÇÃO DO CINEMA PORTUGUÊS EM MOVIMENTO COMEÇA EM MONSANTO

A aldeia de Monsanto, em Idanha-a-Nova, é o ponto de partida no dia 29 da quinta edição do Cinema Português em Movimento, uma iniciativa para levar filmes portugueses a localidades com pouca oferta cinematográfica. De acordo com o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), o programa começa no miradouro daquela localidade com a exibição da curta-metragem "Amélia & Duarte", de Alice Guimarães e Mónica Matos, e da comédia "Refrigerantes e canções de amor", de Luís Galvão Teles. O Cinema Português em Movimento decorrerá até 25 de agosto com a exibição de dez filmes portugueses - alguns repetidos de anos anteriores - em localidades de 12 concelhos. As 53 exibições previstas serão sempre ao ar livre. Este ano, o programa exibirá em complemento episódios gravados por Tiago Pereira no projecto A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, de registo da música portuguesa de tradição oral.

Ler mais

POLITÉCNICO DE CASTELO BRANCO VAI TER CURSO DE DRONES

Facebook

Escrito por RCM/Lusa em 2017-06-16 16:09:43

POLITÉCNICO DE CASTELO BRANCO VAI TER CURSO DE DRONES

O Instituto Politécnico de Castelo Branco vai ministrar no próximo ano lectivo o curso técnico superior profissional em Fabrico e Manutenção de Drones. "Trata-se de mais uma aposta da instituição numa oferta formativa numa área de vanguarda e em expansão", refere em comunicado o presidente do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), Carlos Maia. O novo curso técnico superior profissional (CTeSP) em Fabrico e Manutenção de Drones foi recentemente aprovado e vai ser ministrado na Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco (ESTCB). Carlos Maia explica que a instituição tem um corpo docente qualificado e conta com várias parcerias com empresas já bem implantadas no mercado, factores que tornaram possível a aprovação desta formação que poderá ser estrutural para o IPCB e para a região. As inscrições para este curso podem ser realizadas de 1 de agosto a 6 de setembro de 2017, nos serviços do IPCB.

Ler mais

IDANHA-A-NOVA: ECOFESTIVAL JUNTA 150 ARTISTAS EM SALVATERRA DO EXTREMO

Facebook

Escrito por em 2017-06-01 15:10:31

IDANHA-A-NOVA: ECOFESTIVAL JUNTA 150 ARTISTAS EM SALVATERRA DO EXTREMO

O Ecofestival Salva a Terra que decorre de 22 a 25 de junho em Salvaterra do Extremo no concelho de Idanha-a-Nova, conta com a participação de 150 artistas. As receitas do festival revertem a 100% para o Centro de Recuperação de Animais Selvagens de Castelo Branco (CERAS). O evento bienal que vai na quarta edição é organizado pela associação ambientalista Quercus, União de freguesias de Monfortinho e Salvaterra do Extremo e pelo município de Idanha-a-Nova. "As receitas obtidas revertem efectivamente a 100% para o CERAS, fazendo do Ecofestival Salva a Terra o seu principal mecenas. Com a edição de 2015, conseguimos angariar fundos para recuperar 400 animais", refere a Quercus em comunicado. O festival é composto por inúmeras actividades que vão desde os concertos, 'workshops', percursos interpretativos, observação de vida selvagem, conferências, cinema documental e animação diversa.

Ler mais

IDANHA-A-NOVA: GRUPO DE TEATRO APRESENTA PEÇA SOBRE REFUGIADOS E DIREITOS DAS CRIANÇAS

Facebook

Escrito por RCM em 2017-05-30 12:15:49

IDANHA-A-NOVA: GRUPO DE TEATRO APRESENTA PEÇA SOBRE REFUGIADOS E DIREITOS DAS CRIANÇAS

O Grupo de Teatro do Agrupamento de Escolas de Idanha-a-Nova (IDEATRO), em parceria com o projecto CLDS 3G-Gente Raiana, promovido pelo Centro de Cultura e Desenvolvimento, leva a cena esta quarta-feira na junta de freguesia da vila uma peça de teatro sobre refugiados e direitos das crianças, Em comunicado, o município de Idanha-a-Nova explica que a peça “Era uma vez… na Vila” foi construída, sob proposta da Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Idanha-a-Nova (CPCJ), no âmbito do mês internacional da prevenção dos maus tratos na infância, celebrado anualmente em abril. Após a análise da declaração dos direitos do homem e das crianças, os alunos iniciaram a criação de uma história onde se pudessem encontrar definidos os diferentes direitos e de que forma os mesmos são ou não respeitados na sociedade. A apresentação da peça acontece na quarta-feira, pelas 20:00, no estúdio Teatro Ajidanha, na junta de Freguesia de Idanha-a-Nova.

Ler mais

FESTIVAL DE ARTE URBANA REGRESSA À COVILHÃ EM JUNHO

Facebook

Escrito por RCM/Lusa em 2017-05-25 14:53:25

FESTIVAL DE ARTE URBANA REGRESSA À COVILHÃ EM JUNHO

O WOOL - Covilhã Arte Urbana regressa em junho às ruas daquela cidade, após um ano de paragem imposto pela falta de apoios financeiros, anunciou hoje a organização deste festival, que voltará a contar com artistas internacionais. "Após o interregno de um ano, o centro histórico da cidade será novamente o palco de actuação dos artistas Bosoletti (Argentina), DOA OA (Espanha), Halfstudio e Third (Portugal), que nos brindarão com trabalhos onde as temáticas e inspirações se prenderão com o todo que compõe o território histórico, social, arquitectónico, cultural e/ou natural único desta região, sendo precisamente esta uma das consequências e características de diferenciação este evento", refere a organização em nota de imprensa enviada hoje à agência Lusa. Segundo a informação, esta quarta edição decorrerá entre os dias 03 e 11 de junho e terá uma sessão adicional no dia 17 de junho.

Ler mais

Mais Notícias

Notícias da Região

JORNAL O INTERIOR

A Carregar ...

JORNAL DO FUNDÃO

A Carregar ...

JORNAL A GUARDA

A Carregar ...

© Rádio Clube de Monsanto 2017 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line