Notícias

MALÁSIA: HINDÚS CELEBRAM FESTIVAL THAIPUSAM

Escrito por Rui Pedro Fonseca em 2010-02-03 12:47:20

MALÁSIA: HINDÚS CELEBRAM FESTIVAL THAIPUSAM

Cerca de um milhão e meio de hindus participou na procissão dedicada ao deus Murugan, que marcou o início do Thaipusam deste ano, um festival que simboliza a luta entre o bem e o mal e que decorre nas Batu Caves, santuário situado no distrito de Gombak, 15 quilómetros a norte da capital da Malásia, Kuala Lumpur. As festividades decorrem até ao dia 6 de Fevereiro, mas foi no passado sábado que o evento teve maior simbolismo.


A procissão que começou à meia noite no templo de Sri Maha Mariamman, em Kuala Lumpur, chegou na tarde do dia 30de Janeiro ao seu destino, o templo Sri Subramaniyar Swami, localizado no interior das Batu Caves onde a estátua de Murugan vai ficar até ao próximo sábado. Estas enormes grutas de calcário têm cerca de 400 milhões de anos e no seu interior podemos apreciar vários templos. Cá fora no começo dos 272 degraus que nos levam ao topo das grutas está a estátua mais alta do mundo dedicada a Murugan, com 42,7 metros.


O cortejo passou por várias ruas da capital tornando o trânsito bem mais lento que o habitual nesta moderna cidade.
O Thaipusam é um festival hindu celebrado na lua cheia do mês Thai da comunidade Tamil, entre Janeiro e Fevereiro e comemora o nascimento de Murugan, o filho mais novo de Shiva e sua mulher Parvati. Este evento tem raízes numa lenda hindu e foi trazido para a Malásia desde o sul da Índia no século 19 por emigrantes que chegaram à península para trabalhar em vários estados. De acordo com a mitologia hindu o Thaipusam comemora também o dia em que Parvathi deu ao seu filho Murugan uma lança com a qual derrotou os demónios.


Apesar da tensão causada por alguns ataques nos últimos dias neste país maioritariamente muçulmano, centenas de milhares de pessoas chegaram a este templo no sábado para celebrar o festival.
Onze igrejas, três mesquitas, duas salas de oração muçulmanas e um templo Sikh, foram alvo de ataques desde o início do ano, depois de uma decisão do tribunal autorizar os não muçulmanos a usar a palavra "Allah" como uma tradução para a palavra Deus. O veredicto causou indignação entre os muçulmanos, que argumentam que "Allah" é uma palavra exclusiva do islão. Apesar dos estragos provocados pelos ataques terem sido menores, os incidentes aumentaram o medo de um crescendo de tensão nesta nação multiétnica, em que cerca de um terço dos seus 28 milhões de habitantes são budistas, hindus ou cristãos.

 
Os indianos são cerca de 8 por cento e os muçulmanos perto de 60 por cento. A comunidade hindu queixa-se muitas vezes de discriminação por parte do governo. Talvez por isso o primeiro-ministro resolveu estar presente no festival deste ano. O apoio do primeiro-ministro Datuk Seri Najib Tun Razak deu esperança à comunidade indiana do país. Esta foi a segunda vez na história da Malásia que um primeiro-ministro visitou aquele que é o evento que reúne o maior número de hindus no país, desde que a Malásia conquistou a independência há mais de 50 anos.Todos os anos os hindus malaios reúnem-se numa colorida procissão em direcção às Batu Caves, para mostrarem penitência na esperança das suas preces serem ouvidas.


Pelas oito da manha a agitação já é enorme. Os devotos carregam oferendas para Murugan, geralmente potes cheios de leite conhecidos como Kavadi. O festival é marcado pelo ritmo dos percussionistas que levam os participantes a atingirem um estado de transe. O ritmo aumenta bem como a velocidade da dança, para depois reduzir lentamente. Este espectáculo masoquista não é o mais apropriado para as pessoas mais sensíveis. Homens e mulheres perfuram os seus corpos e penduram limões e maçãs em ganchos espetados nos corpos e dançam num estado de transe até chegarem à escadaria que leva à entrada principal do templo. Há devotos que carregam pesadas estruturas ornamentadas, subindo os cerca de 272 degraus para o templo, enquanto outras centenas, furam a língua, bochechas, queixo, e costas com ganchos e ferros.


Alguns caminham calmamente e recitam orações, outros entram num estado de transe religioso, cantando e dançando enquanto os apoiantes os puxam por longas cordas presas a ganchos espetados nas suas costas. Kavadi Attam é o nome desta dança celebrada durante a cerimónia dedicada a Murugan, o Deus da Guerra da comunidade Tamil. O Kavadi é uma penitência física através da qual os devotos imploram ajuda a Murugan. Os hindus fazem um voto para oferecer a Kavadi ao seu Deus afim de evitarem uma grande calamidade. Por exemplo se o filho do devoto tem uma doença fatal, ele reza a Shanmuga para garantir a cura do seu filho em troca do seu sacrifício.


A 6 de Fevereiro a procissão de mais de um milhão de pessoas parte das Batu Caves em direcção ao centro da capital malaia.






Voltar para a página de notícias

CTT LANÇAM SELOS DE IDANHA-A-NOVA E ÓBIDOS CIDADES CRIATIVAS DA UNESCO

Facebook

Escrito por RCM em 2017-10-20 09:28:41

CTT LANÇAM SELOS DE IDANHA-A-NOVA E ÓBIDOS CIDADES CRIATIVAS DA UNESCO

Os CTT homenageiam Idanha-a-Nova e Óbidos numa emissão filatélica que foi lançada ontem dia 19 de Outubro, a propósito da rede de Cidades Criativas da UNESCO. Ambas as localidades receberam este reconhecimento, em virtude da promoção de iniciativas de carácter musical e literário, respectivamente, que protagonizam. Ambas têm em comum uma enorme história e tradição mas também o facto de terem sabido reinventar-se ao longo do tempo.   Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, foi reconhecida pela UNESCO por apostar em novas infra-estruturas e promover activamente a investigação das suas tradições. Esta localidade promove ao longo do ano uma grande quantidade de eventos musicais.   Óbidos, no distrito de Leiria, está assente nos fortes alicerces do seu castelo, da sua muralha e da sua história e é considerada pela UNESCO uma cidade criativa para a Literatura. Vários projectos antecederam este reconhecimento, caso da transformação de uma igreja em livraria ou de um mercado onde livros ocuparam as paredes e as bancas das frutas e dos legumes.   Estas classificações da UNESCO são um reconhecimento e um estímulo que pretendem reforçar a estratégia de desenvolvimento destas áreas, estimular a criação de riqueza e emprego e contribuir para a fixação e captação de pessoas nestas localidades.   Com esta emissão, os CTT prosseguem os objectivos de divulgação da riqueza da herança cultural, social e arquitectónica portuguesa, fixando-a em selos.   Esta emissão é composta por dois selos, ambos com o valor facial de 0,85€ e uma tiragem de 105 000 exemplares cada. O design esteve a cargo de Vasco Martins.  

Ler mais

ANTIGO COMANDANTE DA PROTECÇÃO CIVIL DESVIOU MEIOS DO INCÊNDIO DE MAÇÃO

Facebook

Escrito por TSF/RCM em 2017-10-20 09:11:38

ANTIGO COMANDANTE DA PROTECÇÃO CIVIL DESVIOU MEIOS DO INCÊNDIO DE MAÇÃO

O antigo Comandante Operacional Nacional da Protecção Civil, Rui Esteves, desviou meios do grande incêndio que, em julho, devastou o concelho de Mação, contrariando o comandante distrital que alertava para a gravidade das chamas. A suspeita sempre existiu e foi levantada na altura pelo presidente da autarquia que agora recebeu a "fita do tempo" deste fogo, encaminhada pelo Ministério da Administração Interna. O documento, a que a TSF teve acesso, é claro ao dizer que o Grupo de Reforço para Incêndios Florestais vindo de Aveiro foi retirado do teatro de operações por ordem do Comandante Operacional Nacional (CONAC) da Autoridade Nacional de Protecção Civil, à época Rui Esteves, que entretanto se demitiu após o caso da licenciatura com equivalências. A retirada de meios aconteceu numa altura em que as chamas já lavravam há cerca de 20 horas e ao início de um dia que a seguir foi "devastador" para o concelho de Mação.

Ler mais

INCÊNDIOS: GRUPO DE CIDADÃOS CONVOCA MANIFESTAÇÃO PACÍFICA EM CASTELO BRANCO

Facebook

Escrito por RCM em 2017-10-18 11:29:27

INCÊNDIOS: GRUPO DE CIDADÃOS CONVOCA MANIFESTAÇÃO PACÍFICA EM CASTELO BRANCO

Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir. Em Castelo Branco um grupo de cidadãos do distrito marcou para o próximo sábado, dia 21, pelas 16 horas, no Campo Mártires da Pátria, uma manifestação pacífica contra a "incompetência e irresponsabilidade com que tem sido tratado pelo Governo Português o flagelo dos incêndios em Portugal". O grupo criado no Facebook pretende deixar claro que não aceita lições de resiliência de gabinete e acrescenta que “os beirões têm uma resistência à adversidade que muitos desconhecem nos salões da capital. Perdemos grande parte da nossa floresta, da floresta que enchia os pulmões do presente e do futuro, que sustentava as nossas gentes. A nossa paisagem é cinza e desolação. Não hesitaremos em construir e plantar de novo, mas o mínimo que nos podem oferecer é a garantia de que a nossa tenacidade será acompanhada por equivalente empenho e honestidade dos poderes públicos na prevenção e no combate aos incêndios."  

Ler mais

17 DE OUTUBRO – DIA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DA POBREZA

Facebook

Escrito por RCM em 2017-10-16 17:37:20

17 DE OUTUBRO – DIA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DA POBREZA

É uma obrigação legal na União Europeia e é um compromisso dos estados-membros. Em 2008, a Assembleia da República Portuguesa considerou que a pobreza “conduz à violação dos Direitos Humanos”. Mas, desde então, pouco ou nada mudou. Um combate sempre adiado. Mais de 25% das pessoas que vivem em Portugal estão em risco de pobreza. Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE) e referem-se a 2016. Esta percentagem tem o rosto de 2 595 000 pessoas. E do total, o Inquérito às Condições de Vida e Rendimento do INE revela que “18,8 por cento (cerca de 487 mil) eram menores de 18 anos e 18 por cento (cerca de 468 mil) eram pessoas com 65 ou mais anos”. As crianças e os idosos são os mais afectados. Um dos principais problemas neste ano foi o aumento das despesas em habitação, que afectou quase 30% dos mais pobres. Quase dez anos depois, Pedro Vaz Patto, o actual Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz, diz que “essa resolução caiu no esquecimento. A resolução do Parlamento recomendava a definição do limiar de pobreza em função do rendimento nacional e dos padrões de vida correntes e a avaliação periódica das políticas de erradicação da pobreza tendo por base a definição desse limiar”.      

Ler mais

REI VAMBA E CASQUEIRO JUNTOS EM IDANHA-A-VELHA

Facebook

Escrito por em 2017-10-14 10:07:09

REI VAMBA E CASQUEIRO JUNTOS EM IDANHA-A-VELHA

O pão casqueiro, famoso produto da região, é a estrela da festa que tem lugar este fim de semana em Idanha-a-Velha. Terá sido na antiga Egitânia, algures no séc. VII, que nasceu Vamba, rei dos visigodos. O lendário Rei Vamba e o Casqueiro, ícone da gastronomia regional, protagonizam mais um momento do ciclo de eventos oficiais das Aldeias Históricas de Portugal, sobre o tema “Nas Terras do Rei Vamba… Há Casqueiro!”. A iniciativa surge no âmbito do ciclo de eventos promovida pela Aldeias Históricas de Portugal, que tem como intuito identificar uma personagem, uma lenda ou um facto histórico, ligado a cada uma das aldeias, e a partir daí, é construído um programa com a duração, de pelo menos 2 dias. O fim de semana leva às ruas da aldeia uma festa que consagra o produto mais emblemático da zona, o pão casqueiro, entre animações de rua, música, worskhops e bancas de artesanato. A festa que tem como palco as ruínas de uma antiga cidade romana está integrada no 12 Em Rede – Aldeias em Festa, o ciclo de eventos que anima as Aldeias Históricas de Portugal.

Ler mais

Mais Notícias

© Rádio Clube de Monsanto 2017 | 98.7 e 107.8 FM | CSB 652 / RDS

Amigos da RCM | Discos Pedidos | Programação | Contactos | Opiniões | Livro de Visitas | Compras On-Line